RESENHA DE A MULHER NA JANELA – POR A.J. FINN
RESENHA DE CONTAGEM REGRESSIVA – POR KEN FOLLETT
RESENHA DE UM SEDUTOR SEM CORAÇÃO – POR LISA KLEYPAS

[Resenha] O bracelete misterioso de Arthur Pepper - Por Phaedra Patrick

11 janeiro 2018


Título: O Bracelete Misterioso De Arthur Pepper
Autor (a): Phaedra Patrick
Páginas: 304
Editora: Fábrica 231 - Rocco
Skoob || Goodreads
Compre: Amazon || Submarino || Americanas

Sinopse: Quanto tempo é necessário para conhecer verdadeiramente uma pessoa? Um ano após a morte de Miriam, com quem foi casado por 40 anos, Arthur Pepper finalmente toma coragem para arrumar o armário da esposa. O viúvo de 69 anos e hábitos modestos, cada vez mais fechado em sua vida solitária, fica surpreso ao encontrar, nas coisas de Miriam, um extravagante bracelete de ouro que ele não conhecia, enfeitado com oito diferentes pingentes. Determinado a descobrir a história por trás da joia, ele percebe que sabia muito pouco do passado da mulher com quem viveu por quatro décadas. E embarca numa viagem que o levará da Índia a Paris, na companhia da vizinha Bernadette, uma viúva que dedica seu tempo a cuidar de pessoas que perderam entes queridos. Uma jornada que mudará para sempre não só a maneira como Arthur conhecia a esposa, mas a sua própria vida, levando-o a fazer as pazes consigo mesmo e com o mundo.
'Falecera' era o termo que todos gostavam de usar. Como se dizer a palavra 'morreu' fosse um palavrão. Arthur detestava a palavra 'faleceu'. Soava gentil como o barulho de um motor de barco nas águas onduladas de um canal, ou uma bolha flutuando num céu sem nuvens. Mas sua morte não tinha sido assim.

Arthur é um homem de 69 anos que perdeu a esposa há um ano. Desde que sua esposa, Miriam, falecera inesperadamente, ele estabeleceu uma rotina rígida para si mesmo: levanta-se todos os dias no mesmo horário, tomava seu chá e fazia as refeições todos os dias nos mesmos horários, cuidava do jardim e de Frederica (a planta trepadeira de Miriam), e mantinha a casa limpa. Essa era sua vida depois que Miriam partiu.





"Que falta ele sentia das risadas em casa! Sonhava em ouvir novamente o som de pés na escada e até portas batendo. Queria encontrar pilhas ocasionais de roupas lavadas no patamar dos quartos, e tropeçar em botas de borracha enlameadas no corredor. as crianças costumavam chamá-las de wellibobs. O silêncio, pelo fato de ser apenas ele, era mais ensurdecedor do que qualquer ruído familiar contra o qual costumava reclamar."

Até que, no aniversário de um ano de morte de Miriam, Arthur se obriga a limpar o guarda-roupas da esposa e entregar suas coisas para caridade, como ela gostaria que ele fizesse. Eis que, em meio a todas aquelas memórias e tristeza, Arthur encontra algo que nunca viu antes: uma pulseira com vários pingentes. Estranho, ele não lembrava de ver a esposa usando essa pulseira e, sendo honesto, não combinava nem um pouco com o estilo elegante que ela costumava ostentar.

"Sentiu um nó na garganta ao pensar na esposa, mas não fraquejou. Desejaria realmente ser feito de pedra para deixar de sentir dor."

Os pingentes chamam a atenção de Arthur, pois parecem ter algum significado, são eles: um elefante, um tigre, um livro, uma flor, uma paleta, um dedal, um coração e um anel. Olhando mais de perto, Arthur encontra uma pista em um dos pingentes e descobre que sua esposa viveu na Índia e possivelmente conviveu com tigres. Ele não sabe o que fazer com essas informações, pois sempre acreditou que Miriam vivera uma vida pacata como a dele e não sabia o que pensar sobre ela não ter lhe contado essas coisas.

"Seguir em frente? E para onde seria? Tinha sessenta e nova anos, não era um adolescente que poderia ir para a universidade ou ter um ano sabático. Seguir em frente. Suspirou enquanto entrava no quarto, arrastando os pés."

E agora, o que fazer? Esquecer que encontrou a pulseira e enterrá-la em seu passado? Ou continuar seguindo pistas para saber mais sobre o passado da mulher com quem fora casado durante 40 anos e aparentemente não conhecia? Convido você, leitor(a), a acompanhar Arthur na sua decisão e a se aventurar nessa história linda, emocionante e cheia de reflexões.

"Podia sentir seu perfume, algo com rosas e lírio-do-vale, e isso o fez querer aninhar o nariz na sua nuca, só mais uma vez, por favor, Deus."







Nada mais simbólico do que o primeiro livro que li no ano de 2018 retratar a história de um recomeço, não? Admito que eu não esperava que esse livro me tocasse tanto, mas isso aconteceu e essa história acabou ganhando um cantinho especial no meu coração.

"Eles tinham dado um duro com dinheiro durante toda a vida de casados, poupando e guardando para tempos difíceis. Quando finalmente tinham esbanjado na cozinha e no banheiro, ela só os tinha aproveitado por um curto período."

Eu amei com todo o meu coração ler um livro que narra ponto de vista de um personagem idoso que já viveu boa parte da vida, e agora está refletindo sobre o que viveu ao mesmo tempo em que tenta descobrir como será sua jornada sem a esposa ao lado. O Arthur é um personagem cativante que está passando por um momento difícil tentando não se deixar abater.

"Por um tempo Miriam fora o sol deles e ele, a lua; agora Dan e Lucy eram estrelas distantes em suas próprias galáxias."

E não, não se preocupe: não é aquele tipo de livro melancólico que traz uma carga pesada de drama o tempo todo. Temos alguns momentos tristes sim, mas a autora soube trabalhar o livro de uma forma que ele ficasse leve e sensível. Então também damos risadas, nos divertimos e torcemos pelos personagens.

"Ele e Miriam haviam discutido uma viagem ao exterior num feriado, mas sempre decidiam por Bridlington, na mesma pousada na praia."

Por falar em personagens, a autora soube trabalhá-los muito bem. Além do Arthur, temos a Bernadette, uma vizinha que perdeu o marido há alguns anos e agora ajuda pessoas que estão passando pela mesma situação a superarem o luto, algumas línguas más dizem que são suas causas perdidas. Ela é uma mulher alegre, expansiva e colorida e o Arthur resiste em aceitar sua ajuda, até que um dia percebe que talvez ela também precise ser ajudada...

"Ele poderia levar as coisas de Miriam para a loja de caridade, poderia guardar a pulseira no seu armário e esquecê-la. Seria a opção fácil. Mas duas coisas impediram-no. Uma, o mistério. Como as histórias de detetive de domingo à tarde, a que ele e Miriam assistiam, descobrir as histórias por detrás dos pingentes da pulseira ficaria atormentando seu cérebro. Poderia descobrir mais coisas sobre sua esposa, e se sentir mais próximo dela. E a outra era Bernadette. Nas inúmeras vezes em que ela tinha aparecido com suas tortas e palavras delicadas, nunca havia lhe pedido nada em troca, nem dinheiro, nem um favor, nem que a ouvisse falar em Carl. Mas, agora, ela estava lhe pedindo uma coisa."

O Arthur e a Miriam tiveram dois filhos, a Lucy e o Dan. E parece que ele perdera a cola que o unia aos filhos após a morte da esposa. Dan mudara-se para a Austrália há alguns anos e agora tinha a própria família. E Lucy está por perto, mas Arthur tinha que ser sincero consigo mesmo e admitir que a relação com ela nunca mais fora a mesma depois que ela não foi ao enterro da mãe.

"Enquanto caminhava para o bloco de construção cinza, desejou poder voltar para o sonho e estra novamente com sua família. Parecera tão real! Por que não apreciara esses momentos enquanto estavam acontecendo?"

E uma das coisas que mais gostei nesse livro foram as reflexões que ele desperta. Uma delas é que é incrível como nós sempre pensamos que estamos fazendo o melhor que podemos e encontramos 1001 desculpas para não fazermos mais, enquanto achamos que todos a nossa volta não estão fazendo o suficiente.

"Nunca sentira necessidade de ter ciúme. Sua esposa não flertava com outros homens. Se alguma vez ele via algum homem olhando-a com interesse, como geralmente acontecia, sentia-se bastante orgulhoso."

Voltando a falar dos personagens, temos alguns outros que convivem com o Arthur que gostei bastante de conhecer e até de acompanhar a mudança em alguns deles, mas gostei mais ainda de conhecer as figuras, algumas muito excêntricas, que ele encontra em sua jornada. É legal ver como algumas pessoas são capazes de deixar marcas na vida de outras mesmo com gestos pequenos, e é isso que a autora mostra.

"Não estava preparado para apodrecer em sua poltrona, pranteando sua mulher, esperando o telefonema dos filhos e preenchendo seus dias com aguagem de plantas e TV."

Por falar na jornada do Arthur, ele era uma pessoa acomodada. Viveu sempre no mesmo lugar, e viajava a passeio sempre para os mesmos lugares. Achava que cidades grandes eram lugares lotados, sujos e cheios de criminalidade, que não valiam a pena conhecer. E foi muito legal acompanhar o mundo dele se expandindo aos poucos, os velhos preconceitos cederem e ele começar a enxergar a vida e as pessoas de outra forma.

"O fato é que, quando se chega à idade dele, é pouco provável haver mais dias maravilhosos pela frente, aqueles onde você para e pensa: Vou me lembrar deste dia para sempre."

E aqui eu devo dizer que fiquei apaixonada pela narrativa da autora. Ela conseguiu abordar temas sérios, dramáticos e reflexivos de uma forma leve e muito fluida. Eu li as primeiras 200 páginas em um único dia, as últimas 100 eu fiquei economizando porque não queria sair daquela história, e devo dizer que é raro quando isso acontece.

"Nunca havia parado para pensar em como as outras pessoas levavam a vida. Para ele, o país inteiro devia viver em casas idênticas à sua, com  a mesma disposição. Levantar-se-iam à mesma hora da manhã e realizariam sua rotina diária assim como ele. Sempre lia no jornal sobre reality shows, sobre seguirem pessoas em sua vida diária. Que tedioso, pensava, sem perceber que a vida dessas pessoas era completamente diferente da sua."

Acho que deu para perceber que eu amei a leitura, não? É aquele tipo de livro que te deixa com um calorzinho no coração e com vontade de continuar convivendo com aqueles personagens. Indico para quem procura uma história leve, tocante e ao mesmo tempo cheia de reflexões.

Agora ele se maldizia por não ter prestado mais atenção. Era difícil se concentrar em alguma coisa, além do seu chá, quando chegava do trabalho. Quando as crianças estavam na cama, aproveitava o tempo com a esposa. Conversavam sobre seu dia, mais do que sobre o passado. Desejava ter tido mais interesse.









Barbara M. Cabalero
Advogada, concurseira e apaixonada por livros desde criança.
Meu gênero favorito é fantasia, mas sou bastante eclética,
leio quase todos os gêneros.
22 Comentários | BLOGGER
Comentários | FACEBOOK

22 comentários:

  1. Oiee Barbara ^^
    Eu ainda não conhecia esse livro, e de início não tinha sentido muita curiosidade de conhecer melhor - não sou muito fã de histórias onde os personagens são bem mais velhos que eu, porque fica um pouco difícil de me identificar...haha' - mas quando você disse Índia, me conquistou! Achei interessante você mencionar que o protagonista é uma pessoa acomodada e que precisou deixar o comodismo de lado e embarcar nessa aventura. Gostei bastante :)
    MilkMilks ♥
    http://shakedepalavras.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  2. Heiii, tudo bem?
    Desde o lançamento que eu quero esse livro, achei a premissa bem interessante e pelo que vi na resenha é um livro lindo e com um fundo de suspense, que eu amo.
    Com certeza quero ler "O Bracelete Misterioso De Arthur Pepper", amei a capa e depois de saber tudo que rola no livro, ja vi que vou amar.
    Otima resenha.
    Beijos.

    Livros e SushiFacebookInstagramTwitter

    ResponderExcluir
  3. Nossa, que linda que parece ser a história. Em um momento me peguei pensando se não seria dolorido tentar descobrir algo sem saber a verdade por a pessoa não estar mais viva e por outro como deve ser o sentimento do personagem. Primeira vez que leio algo sobre este livro.

    ResponderExcluir
  4. Percebo que a leitura é maravilhosa quando ficamos economizando as páginas pra não terminar ele logo hahaha. Acho que nunca li nada narrado do ponto de vista de um idoso e além de me tirar da minha zona de conforto certamente mostraria um outro lado de toda a história, fiquei bastante curiosa para ler.

    ResponderExcluir
  5. Olá,

    Não vou mentir para você, achei a premissa dessa obra muito bacanaaaaa. Eu nunca li nenhum livro com as perspectiva de um idoso, acho que esse ponto foi o que mais me chamou atenção ao conhecer o livro pela sua resenha. Irei adicioná-lo na minha lista de desejados, super fiquei interessado! ♥

    → desencaixados.com

    ResponderExcluir
  6. Olá!
    Já tinha visto essa dica quando saiu o lançamento, mas até então não tinha me chamado atenção. A capa além de linda, a história traz uma premissa interessante e mostra um que de mistério que me faz querer ler.
    Adorei os quotes selecionados.
    Beijos!

    Camila de Moraes

    ResponderExcluir
  7. Olá Barbara, tudo bem?

    Eu achei a capa maravilhosa, mas não sabia que por trás dela havia uma história tão tocante quanto esta. Pra você ver como as aparências enganam. Isso de conviver anos com a pessoa e mesmo assim não conhecê-la... é bem verdade. E não só no âmbito amoroso. Encontramos isso até em nossa própria família. Vou deixar a dica anotada.

    Beijo
    @blogodiariodoleitor

    ResponderExcluir
  8. Oie, tudo bem?
    AHH, já prevejo lágrimas com esse livro, hein?
    Amei a capa, e imaginei que era um livro sobre perspectiva infantil, até ler sua resenha (que pro sinal, amei também). Já foi pra minha lista!

    ResponderExcluir
  9. Oi, Bárbara!
    Adorei a trama dessa história! *__*
    Eu vou tentar adquirir esse livro em breve (fui ver o preço, desanimei um pouco), pois simplesmente adorei a premissa do livro e a sua resenha foi muito fofa!
    Bjos
    Lucy - Por essas páginas

    ResponderExcluir
  10. Olá...
    Gente do Céu, que livro é esse!!!
    Ainda não conhecia nem a obra nem o autor, mas, estou aqui totalmente fascinada pela história do livro! Pelos seus comentários parece ser exatamente o tipo de livro que curto, então, espero poder ter a oportunidade de ler brevemente... Aliás, ele super combina com esse inicio de ano!
    Bjo

    http://coisasdediane.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  11. Oi,
    apesar de já ter visto a capa deste livro incontáveis vezes, eu ainda não conhecia a história. Recentemente eu li um livro cujos protagonistas também estavam na terceira idade e foi uma novidade e tanto pra mim já que nunca leio livros com essa característica específica, não por falta de vontade mas por quase nunca encontrar tramas que me chamem verdadeiramente a atenção. Agora que sei um pouco do que conta o livro fiquei curiosa para saber por quais caminhos esta pulseira levou Arthur.

    Abraços!
    Nosso Mundo Literário

    ResponderExcluir
  12. Já li algumas resenhas deste livro e a sua é a primeira que leio falando que se sentiu tocada pela história. Confesso que é novo um livro com protagonista como Arthur, realmente deve nos trazer uma história sensível que deixa o calorzinho no coração que comentou. Gostei de saber sua opinião.

    Beijos.
    https://cabinedeleitura0.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  13. Olá ♥
    Não conhecia o livro, nem a autora, mas fiquei bastante curiosa para fazer a leitura. A premissa é maravilhosa e lendo sua resenha me deu aquele frio na barriga. Depois de tantos elogios fica até difícil não querer ler. Faz bem meu tipo de leitura. A dica já está mais que anotada. Espero em breve poder fazer a leitura
    Beijos

    ResponderExcluir
  14. Olá!

    Eu ainda não tinha ouvido falar deste livro, mas infelizmente não achei a premissa dele interessante, talvez porque não seja o tipo de obra no qual estou habituada a ler. Mas eu adorei a sua resenha, está maravilhosa ❤️

    Um beijo

    ResponderExcluir
  15. Oi Barbara tudo bem, que linda sua resenha estou encantada, que história maravilhosa, adorei o Arthur e essa aventura dele deve ter sido fascinante, estou muito curiosa com o desfecho dessa história, obrigado pela dica! Bjs.

    ResponderExcluir
  16. Esse livro parecer ser muito amorzinho!
    Sua resenha me conquistou. <3
    Pensa que loucura encontrar um bracelete que traz tanta história nele? Quero saber mais sobre a aventura de Arthur e o que ele descobriu sobre a vida da esposa.
    Vou adicionar já no skoob para não esquecer.
    E que capa mais fofa é essa??? Ótimo trabalho da editora, como sempre <3

    Vícios e Literatura

    ResponderExcluir
  17. Olá Barbara, eu não conhecia esse livros, mas seus comentários me deixaram bem curiosa para saber o que o protagonista vai descobrir do passado da sua esposa, parece ser o tipo de enredo com parte bem tocantes *-* Adorei a dica.

    ResponderExcluir
  18. Nunca li nenhum livro com historia parecida, ainda mais com um uma pessoa idosa tentando seguir em frente depois da perda so seu companheiro. Amei a resenha e o que foi colocado, me dando vontade de conhecer mais sobre os personagens e o que aconteceu no fim do livro.

    Bjus**
    http://imagine-livros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  19. Oi!
    Eu adorei a sua dica! Parece nos trazer incríveis lições, é desse tipo de livro que eu gosto. O título me chamou a atenção e achei a capa muito bonita também. Espero ler em breve! Já quero!
    Beijos

    ResponderExcluir
  20. Oies!!

    Eu queria muito ter lido esse livro, mas o meu foi extraviado e eu não consegui comprar o meu ainda. Que bom que é uma linda história, e emocionante! Gostei de saber que a autora soube dosar bem o drama. Isso é ótimo.

    Espero ler em breve!

    Beijinhos,

    ResponderExcluir
  21. Oi Bárbara! Nosssaaa essa é a terceira resenha que leio desse livro e desde a primeira já gostei da história e todo o mistério envolvido. Quero muito ler, acho que vou marcar no Skoob como desejado. kkkkkk, já estava como desejado...

    Nara Dias
    www.viagensdepapel.com

    ResponderExcluir
  22. Olá, tudo bem? Acredita que não conhecia a história? Gosto de livros sobre recomeço porém esse parece ser lançamento né? Sua resenha me deixou curiosa sobre o mesmo, por isso dica anotada. Aliás até agora chocada por não conhecer pois a capa é LINDA!
    Beijos,
    diariasleituras.blogspot.com.br

    ResponderExcluir

 
© Galáxia de Ideias, VERSION: 01 - BLUE UNIVERSE - janeiro/2018. Todos os direitos reservados.
Criado por: Maidy Lacerda. Widget inspirado/base do menu por MadlyLuv
Tecnologia do Blogger.
imagem-logo