RESENHA DE A MULHER NA JANELA – POR A.J. FINN
RESENHA DE CONTAGEM REGRESSIVA – POR KEN FOLLETT
RESENHA DE UM SEDUTOR SEM CORAÇÃO – POR LISA KLEYPAS

[Resenha] Quando a Bela domou a Fera - Por Eloisa James

29 janeiro 2018

Título: Quando a Bela domou a Fera
[Contos de Fadas #1]
Autor (a): Eloisa James
Páginas: 320
Editora: Arqueiro
Skoob || Goodreads
Compre: Amazon || Submarino || Americanas

Sinopse: Piers Yelverton, o conde de Marchant, vive em um castelo no País de Gales, onde seu temperamento irascível acaba ferindo todos os que cruzam seu caminho. Além disso, segundo as más línguas, o defeito que ele tem na perna o deixou imune aos encantos de qualquer mulher.
Mas Linnet não é qualquer mulher. É uma das moças mais adoráveis que já circularam pelos salões de Londres. Seu charme e sua inteligência já fizeram com que até mesmo um príncipe caísse a seus pés. Após ver seu nome envolvido em um escândalo da realeza, ela definitivamente precisa de um marido e, ao conhecer Piers, prevê que ele se apaixonará perdidamente em apenas duas semanas.
No entanto, Linnet não faz ideia do perigo que seu coração corre. Afinal, o homem a quem ela o está entregando talvez nunca seja capaz de corresponder a seus sentimentos. Que preço ela estará disposta a pagar para domar o coração frio e selvagem do conde? E Piers, por sua vez, será capaz de abrir mão de suas convicções mais profundas pela mulher mais maravilhosa que já conheceu?


Linnet é belíssima. Fato qual ninguém ousa refutar. Todos os homens desejam sua atenção, e todas as mulheres a odeiam por tanta atenção. No entanto há uma pequena mancha em seu passado que faz com que todos esperem o pior da encantadora Linnet: sua mãe era uma libertina, e sendo filha de quem é, ela estava fadada a seguir os mesmos passos da mãe. O pai da jovem sempre fez de tudo para que ela não se envolvesse em nenhum escândalo e teve êxito até que ela caiu nas graças do príncipe. Ele a cortejava, estava sempre presente, era absolutamente certo que duas criaturas encantadoras ficassem juntos, mas o impensável acontece, ele a dispensa pois jamais poderia se casar com alguém que não fosse no mínimo uma princesa.

"Piers deu uma olhada demorada para Linnet. Havia beleza, certamente. Mas ela não diminuía a inteligência de seus olhos. E, na opinião dele, a leve agudeza cínica na voz dela a tornava ainda mais bonita, como se Afrodite tivesse sido mesclada com Atena."

Toda sociedade acredita que ele a engravidou após o fim abrupto, e tudo isso por conta de um vestido que não favoreceu sua fina cintura. Agora Linnet se tornou uma perdida e jamais conseguiria matrimônio em Londres, ou em qualquer outro lugar. A solução veio por meio de sua tia que ouve boatos sobre o pai do Conde de Marchant estar desesperado para casar o filho, e o ajuda o fato do homem possuir uma inclinação para linhagens de sangue reais, sendo assim, já que todos acreditam que Linnet está grávida do príncipe, favorecia a estima do homem em juntá-la com o filho. E assim, Linnet parte para o País de Gales a encontro do futuro noivo. Piers Yelverton.

"- Ah, mas eu acho que somos perfeitos um para o outro - disse ela, só para cutucá-lo.
- Um médico totalmente maluco - esse sou eu - e uma beldade terrivelmente conivente - essa é você - mancando juntos rumo a vida de felicidade? Duvido muito. Você tem lido contos de fadas demais."

Piers é um renomado médico que trás admiração por todos que o conhecem em profissão. O mesmo não pode ser dito da vida pessoal, pois Piers é uma pessoa extremamente desagradável com seu humor ácido e mordaz. Quando Linnet chega ao seu castelo fora impossível não perceber o quanto a jovem era bela. No entanto ele estava decidido a não se casar, não daria esse orgulho ao pai, mas quanto mais tempo passa na presença de Linnet, mais percebe o quanto ela não é somente um rosto bonito. É evidente a atração que possuem e logo percebem que são perfeitos um para o outro. Mas será que Piers sucumbirá a paixão? Será que Linnet conseguirá domar a fera?









É fato para todos que me conhecem que sou completamente apaixonada por romances de época. Já li livros da Julia QuinnSarah MacLean (inclusive tem um comentário meu na orelha do livro Cilada para um marquês), Julian Fellowes, Tessa Dare, Mary Balogh, Lisa Kleypas, mas até então nunca tinha aventurado-me com a Eloisa James. Confesso que quando peguei o livro não esperava muita coisa. Como sempre leio muito romances de época, é raro encontrar um que tenha algo novo a oferecer, são sempre enredos de mocinhas da sociedade que conhecem o libertino e sonham mudá-lo e convertê-lo em um homem de família. Ou, aquele homem da sociedade super cobiçado que se apaixona pela criada, ou moça de status inferior. E isso é um problema? Não, claro que não. Amo o gênero e esses clichês nunca me incomodaram. Mas em Quando a Bela domou a Fera fui surpreendida com um livro que foge dos salões de baile, uma mocinha ousada, e um mocinho rabugento mas apaixonante a sua maneira.






Aqui conhecemos a história de Linnet e Piers, e que casal peculiar! Eloisa James dosou humor, acidez e personalidade nos dois. Ambos são envolventes e nos fazem sentir afinidade instantânea. Linnet sendo uma bela jovem que desperta interesse por sua aparência. Apesar de isso lhe incomodar em boa parte do tempo, ela sabe muito bem de seus encantos e não tem medo de usá-los ao seu favor. No entanto com Piers ela é exatamente quem é de verdade, e isso foi o que mais gostei na história. Todos sempre se aproximaram subestimando-a e qualificando-a somente por ser bonita, jamais se interessaram por outras qualidades que na realidade são inúmeras. A jovem é sagaz, inteligente, bem humorada, dona de pensamentos fortes, além de ser extremamente curiosa e desejar sempre descobrir coisas novas, e com o Piers, ela mostra tudo isso e muito mais.

"O beijo dele não era uma adoração gentil. Era uma carícia selvagem, um beijo louco e apaixonado, tumultuado, roubado."

Já nosso "mocinho" em questão, é totalmente diferente daquilo que consideramos ser apaixonante num cavalheiro. Primeiramente deve-se levar em consideração a inspiração de sua criação feita por Eloisa James. Piers é a personificação do Dr. House, isso mesmo, o médico da série e isso é refletido em sua personalidade. Ele é o melhor médico de sua era, e como tal, tem direito a ser arrogante e presunçoso, mas esses defeitos que poderiam ser ruins para o personagem acabam por se tornar parte dele. Piers é do tipo sincero ao extremo, ou sincero que chega a doer. Conhecido por alguns como Belzebu por conta de seu temperamento forte e palavras duras, ele é extremamente irônico e Linnet complementa com perfeição pois entende cada uma de suas piadas infames. Algo que gostei no personagem foi o fato dele ser apaixonado por sua profissão e ter lutado muito para ser quem é. Piers tem um problema na perna que o faz mancar, mas diferente de muitas pessoas em seu lugar, ele não se ateu a sua limitação e se jogou com tudo no sonho de ser médico. Apesar de ser mordaz em palavras, ele é completamente dedicado aos seus pacientes e faz de tudo para que recebam um tratamento digno.

"- O homem tem um temperamento péssimo. É um médico brilhante, ou ao menos é o que todos dizem, mas tem o temperamento de um demônio."

Além do casal, o enredo trás inúmeros personagens secundários memoráveis como os pais de Piers que acabam por ter um plot acontecendo junto da história. Adorei essa junção pois complementa com perfeição todo o desenrolar da história principal. Os "patinhos", aprendizes de Píers, apelidados carinhosamente por Linnet também merecem destaque, assim como também, o primo de Píers que é o total oposto dele. Cada um com suas peculiaridades acrescentam e são importantes ao enredo.






Algo que deve ser mencionado. e também uma das coisas que mais difere essa história dos demais romances de época, é o fato dela fugir do clichê da cidade de Londres, alta temporada e salões de baile, indo para o extremo até o país de Gales. Um lugar pequeno, de poucos recursos e população humilde. Piers tem um castelo no qual também é um hospital e todas as pessoas da região são tratados ali. Esse é outro ponto positivo da história, Eloisa James trás ao enredo com muita prudência doenças que assolavam aquela época, e também que muitas pessoas sofreram por acharem que eram outras coisas, Piers dá vários diagnósticos de doenças que pensavam ser desconhecidas e hoje para nós são coisas de fácil tratamento. É um bom comparativo de uma época vivida ainda na ignorância.

"Ela é como minha outra metade. Minha outra maldita metade, como uma espécie de piada que Platão inventou. Como algo que eu nunca quis e, então, lá estava ela."

Geralmente os romances de época trazem cenas mais hots entre os personagens, e aqui não foi diferente, mas confesso que a química entre o casal é diferente. É nítido o quanto se sentem atraídos, e por Linnet ser uma pessoa naturalmente curiosa, ela se entrega com paixão em tudo, fato esse que lhes digo que incitaram várias cenas picantes. Isso também se deve ao fato da Eloisa James ter uma escrita maravilhosa. O livro flui muito rápido e envolve logo no começo, as cenas são descritas com clareza de detalhes nos transportando com facilidade para a cena criada por ela. Eloisa James acaba de ganhar mais uma fã.






Li o livro em sua versão física e não tenho nenhuma ressalva negativa, a capa trás um fundo vintage e uma rosa vermelha fazendo referência à Bela e a Fera, internamente o livro vem com folhas amareladas, com margens bem espaçadas e letras num tamanho ótimo para se ler.

Quando a Bela domou a Fera é o primeiro volume publicado aqui no Brasil da série Contos de fadas, após ele ainda teremos ainda a recontagem de Cinderela, Patinho feio e muito mais. Recomendo o livro para todos os amantes de livros de época e ainda mais para quem gostaria de fugir da mesmice do gênero.













Stefani Almeida
Arquiteta e Urbanista
Apaixonada por livros, filmes, series
fotos e Funko Pop
2 Comentários | BLOGGER
Comentários | FACEBOOK

2 comentários:

  1. Já me apaaixonei pelo livro. Vc já leu o livro Onde as árvores cantam? Parece q se passa em Gales.

    ResponderExcluir
  2. Resenha linda, fotos maravilhosas e quotes apaixonantes! Amei, e agora estou super curiosa para ler esse livro. <3
    Florescer Palavras

    ResponderExcluir

 
© Galáxia de Ideias, VERSION: 01 - BLUE UNIVERSE - janeiro/2018. Todos os direitos reservados.
Criado por: Maidy Lacerda. Widget inspirado/base do menu por MadlyLuv
Tecnologia do Blogger.
imagem-logo