RESENHA DE A MULHER NA JANELA – POR A.J. FINN
RESENHA DE CONTAGEM REGRESSIVA – POR KEN FOLLETT
RESENHA DE UM SEDUTOR SEM CORAÇÃO – POR LISA KLEYPAS

[Resenha] Virgem - Por Radhika Sanghani

12 janeiro 2018


Título: Virgem
[Virgem #1]
Autor (a): Radhika Sanghani
Páginas: 288
Editora: Fábrica 231 - Rocco
Skoob || Goodreads
Compre: Amazon || Submarino || Americanas

Sinopse: Ellie Kolstakis tem 21 anos, ótimas amigas, uma boa situação financeira, está terminando a faculdade de Literatura Inglesa e ainda é... virgem. Mas ela está decidida a mudar isso até a sua formatura. Afinal, ela não escolheu esperar até o casamento, muito menos possui restrições religiosas ou está à procura de um príncipe encantado. O fato é que Ellie simplesmente não tem sorte quando o assunto é amor e sexo. Decidida a virar o jogo nos quatro meses que restam até se formar, a jovem divide seu tempo entre o trabalho de conclusão de curso, depilações inusitadas, seu blog, festas, conselhos de amigas e até mesmo tutoriais constrangedores no YouTube, envolvendo-se em situações mirabolantes e, claro, hilárias, da primeira à última página.



Virgem é aquele tipo de leitura que definitivamente não agradará a todos. Logo de cara percebemos que é um livro voltado para o público feminino, e esse, ao meu ver, é sua maior qualidade. Radhika Sanghani personifica em 288 páginas todas as inseguranças que nós mulheres enfrentamos pelo menos uma vez na juventude. Eu, com meus 25 anos me identifiquei com várias situações, e sabe o que é mais incrível, me diverti horrores com aquele sentimento de vergonha alheia por lembrar de alguns fatos que aconteceram comigo.








De forma bem resumida, em Virgem acompanhamos em primeira pessoa o desenrolar de Ellie Kolstakis em perder sua virgindade antes de terminar a faculdade. A jovem se considera uma aberração por ter 21 anos e ser a única que conhece que ainda nunca fez sexo, o que ainda lhe frustra mais é o fato dela não ter escolhido esperar até o casamento, e, muito menos ter feito um voto de castidade. É só por causa de um trauma com depilação íntima e vergonha de mostrar os "Países baixos" devidamente não depilados. Quando tinha 17 anos Ellie ia perder a virgindade com um garoto, só que na hora H o cara caiu na risada por ela ser peluda, frustrada a jovem resolveu se depilar, mas um pequeno acidente fez com que machucasse sua "menina", sendo assim, nunca mais arriscou depilar-se novamente.

"Eu realmente tinha muita autopiedade e ficava choramingando por aí, além de ser egoísta. Mas não éramos todos?"

Agora faltando poucas semanas para terminar a faculdade, Ellie resolve que fará de tudo para se livrar desse fardo. No entanto, assim como toda garota insegura, Ellie comete vários erros resultando na perda de uma querida amiga de infância, um envolvimento com um boy nem tão magia assim e várias situações de vergonha alheia. No meio de tudo isso, a criação de um blog surge para que ela possa compartilhar assuntos femininos com muita crueza de detalhes.




Deu para perceber que Ellie é uma confusão em pessoa, não é?  Ellie é o tipo de personagem que talvez não agrade a todos, tudo dependerá do quanto você se identificará com ela e suas inseguranças. Ela se tornou controversa para mim, pois hora entendia o que ela passava, mas em outra achava que estava pesando no drama. Mas ai que está a magia de Virgem, ele reúne em uma única personagem as inseguranças de todas as mulheres. Ellie passa de forma bem sutil pela jornada do herói. No começo vemos uma jovem fútil, que pensa somente em si, que arrasta todos ao seu redor para seu "grande" problema, e com o passar do enredo as coisas vão mudando fazendo-a crescer de tal forma que senti orgulho de seus avanços ao final da história.




Acho que chegou a hora de dar uma polemizada (Que Deus me ajude hahahah). Agora entro na razão de ter tirado uma estrela do livro. É impossível pra mim gostar 100% da obra porque não concordo com a linha de raciocínio que ela tomou. O que vou falar agora é totalmente de cunho pessoal e essa avaliação dependerá totalmente de pessoa para pessoa.

"- Desculpe, Ellie – ele balbuciou e parou. Respirou fundo e continuou. – Eu acho que sou gay.
– O QUE? – Soltei um grito agudo. – Você é gay? E acaba de me beijar? Porque? Ai meu deus! Eu fiz isso?"

Acho que a forma como é abordada a perda da virgindade nesse livro é muito perigosa. Perigosa, mas porque Stéfani? Bom, além de ser algo pessoal, cada garota tem seu tempo e "sabe" a hora certa. A personagem considera ser virgem uma aberração (ela usa exatamente essas palavras), fora que insinua que aos 13 anos é uma idade legal, quanto mais cedo melhor.  Nesse ponto travei uma batalha pesada comigo mesma porque, desculpe-me quem discorda, 13 anos ainda é uma criança! Estamos vivendo numa era onde estão sexualizando nossas crianças, acho importante falar isso e tomar como exemplo a própria Melody. Nossas crianças estão deixando de ser crianças e parece que a sociedade acha normal. Tenho uma irmã de 15 anos e uma sobrinha de 13, não passa pela minha cabeça que com essa idade a maioria das pessoas considerem que elas tem idade para ter relações sexuais.




Mesmo a personagem chegando ao final da história aprendendo que cada garota possui seu tempo, até chegar nesse ponto, o livro trás muita desinformação sobre esse assunto. Cada corpo é único, da mesma forma que cada "cabeça" também é. Mesmo com 21 anos, Ellie claramente não estava preparada psicologicamente para tomar essa decisão, e o resultado disso é péssimo. Creio que foi intencional por parte da autora fazer as coisas dessa forma para que sua personagem aprendesse com as consequências que seus pensamentos são errados. Não tem como generalizar algo que é pessoal para cada pessoa.

"- Pare já de se sentir mal com você mesma, Ellie Kolstakis – ela disse, imitando uma mãe, antes de apoiar a caneca e me olhar nos olhos. – Quando você não está reclamando de como sua vida é medíocre,  você é engraçada e muito divertida. Por isso acho que você deveria tomar um banho e sentar comigo no sofá para assistir aquela nova série pela qual todos estão obcecados e depois nos arrumarmos para a festa. Que tal?!"

Outra coisa que gostaria de falar é sobre a escrita da Radhika. É simplesmente sensacional, os assuntos foram tratados com crueza de detalhes, e em nenhum momento romantizados, fora que mesmo que o foco principal seja a virgindade, ela aborda outros assuntos femininos com muita sinceridade e realidade. Até mesmo a depilação feminina foi descrita em detalhes! Isso faz com que o leitor se sinta  inserido muito mais rápido na história também. Fora a dose gigantesca de humor que ela insere nas situações que podem ser descritas como vergonha alheia. O livro primeiramente foi publicado em ebook pela Editora Rocco, e por fim em físico. Confesso que a capa do e-book me agrada mais, mas nada que influencie na leitura. Internamente o exemplar está impecável com uma excelente diagramação trazendo conforto na hora de ler.




Enfim, um tanto quanto polêmico e dependente do gosto pessoal e identificação. Virgem, apesar dos defeitos, é uma leitura quase obrigatória ao público feminino. Recomendo o livro principalmente para quem gosta de experiências reais com altas doses de humor.











Stefani Almeida
Arquiteta e Urbanista
Apaixonada por livros, filmes, series
fotos e Funko Pop
16 Comentários | BLOGGER
Comentários | FACEBOOK

16 comentários:

  1. Eu também travei quando ela disse que com 13 anos era uma boa idade... Mas acho queno final a leitura serviu como um aviso, para que cada mulher entenda que não deve tratar esses esteriótipos femininos como um fardo e que devemos nos atentar a essas coisas, sem contar que adorei a amiga dela, ela é sensacional! Belas fotos. <3

    ResponderExcluir
  2. Como assim que com 13 anos é idade boa? Gente eu to em choque aushduaihdsha
    Pelo que percebi pela sua resenha, realmente é um livro mais voltado para as mulheres, mas apesar de tudo, o livro também traz alguns pontos muito positivos em relação ao assunto e tempo né? Adorei sua resenha.

    ResponderExcluir
  3. Confesso que a capa é bonita, mas o enredo... meu fútil sabe, mas não posso dizer isso uma vez que não li, talvez seja voltado para um público mais jovem, mesmo sendo humorado, que eu curto, eu passo a dica.

    As fotos ficaram ótimas, só as frases em destaques que estão difíceis de enxergar, devido a letra muito clara, no mais está ficando show o novo formato do blog.

    Beijos.
    https://cabinedeleitura0.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Oi, Stefani

    Eu concordo com você a respeito da abordagem perigosa. Assim que esse livro foi lançado e eu li essa frase na frente já achei idiota. Depois, nas poucas resenhas que li, tive certeza que não darei uma chance.
    Eu fiz sexo pela primeira vez com 23 anos, todas as minhas amigas já tinham feito e eu sofria uma baita pressão da parte delas, ouvia muitos absurdos, mas esperei a minha hora sem forçar nada.
    Por mais que possa haver um crescimento e tal, acho esse livro um desserviço, bobeira total!

    Beijos
    - Tami
    http://www.meuepilogo.com

    ResponderExcluir
  5. Heiii, tudo bem?
    Ainda nao conhecia o livro e nem sabia que a Rocco tinha lançado uma historia assim, a capa ficou bem linda.
    Gostei do que falou do livro, acho que é uma romance de aceitação e sempre fico feliz em histórias assim, ainda mais livro feita para mulheres, me sinto mais acolhida.
    Vou ler com certeza.
    Beijos.

    Livros e SushiFacebookInstagramTwitter

    ResponderExcluir
  6. Eu li a resenha em outro blog e gostei, a sua tbm me deixou curiosa para ler o livro, mas sobre sua opinião pessoal eu compartilho dela 100%, eu mesmo com 13 anos estava brincando de boneca e morria de vergonha de conversar com garotos, hoje estou com 30 anos e não nem metade das coisas que veio meninas de 15 fazendo por ai... cada uma mulher tem seu tempo e acho que tiraria uma estrela tbm. Espero poder ler esse livro um dia.

    Bruna
    https://odiariodoleitor.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  7. Olá, tudo bom?

    Achei a premissa interessante, mas realmente pecou quanto ao afirmar sobre a idade de se fazer sexo. Concordo totalmente com você ao dizer que 13 anos é uma criança e, inclusive, é contra lei. Até os 14 anos, a não ser que seja autorizado pelos pais - e isso ainda é um problema -, ninguém pode fazer sexo. Nos EUA, a maioria dos estados está entre 17-18 anos. Logicamente que muitos fazem sexo antes disso, mas se for praticado por uma pessoa menor de idade e outra acima dos 18 anos, esta último pode ser presa.
    Tirando isso, como você falou, achei que ela, aos 21 anos, não estava realmente pronta para isso. Não acho anormal as pessoas não fazerem, acho que isso depende muito da cabeça de cada um (desde que seja o que eu falei antes). Acredito que há idade para tudo nessa vida e não há necessidade de se apressar nada.
    Por outro lado, é legal que ela tenha "amadurecido" e tenha aprendido sobre as consequências de certas atitudes. É normal ser inseguro sobre muita coisa e acredito que eu riria sobre muitas situações descritas, pois ela realmente aborda a realidade de muitas mulheres.

    Enfim, adorei a postagem e agradeço a indicação :)
    Abraços.

    ResponderExcluir
  8. Olá, tudo bem?

    Confesso que chorei de rir com o que essa menina/mulher passou na vida. E que babaca ter que se impôr metas, como perder a virgindade em tanto tempo. Acho que quem um dia pensou nisso era bem fraca das ideias, rs.

    Beijo
    @blogodiariodoleitor

    ResponderExcluir
  9. Dei risadas com os quotes que você colocou, eu penso da mesma maneira sobre sua opinião, porque todo mundo tem as inseguranças. Eu lembro que ficava toda neurótica e hoje só dou risada com estas coisas, mas acho que muita coisa tem que ser levada a sério. Mas cada país tem uma cultura diferente.

    ResponderExcluir
  10. Oi, tudo bem?
    Eu ainda não conhecia esse livro, mas terminei de ler sua resenha sem me decidir se quero ler ou não. Percebi que, apesar de ter destacado alguns problemas, você gostou da leitura e se divertiu com o livro. Porém, alguns pontos me deixaram com um pé atrás.
    Primeiro, pela própria descrição da protagonista. Não gosto quando tentam reunir todas as inseguranças femininas em uma mesma personagem, porque é algo que sempre soa forçado para mim. Além disso, acho que eu também travaria nessa parte em que falar que 13 anos é uma boa idade para perder a virgindade. Com essa idade as meninas ainda nem saber escolher o que vão vestir direito, que dirá tomar uma decisão tão série.
    Adorei sua resenha e ainda vou pensar se lerei o livro ou não. Mas fico feliz que você tenha gostado da leitura.
    Beijos!

    ResponderExcluir
  11. Oiee Stefani ^^
    Por mais que o livro pareça ser engraçado e divertido (por causa das vergonhas alheias e tudo o mais) eu não sei se teria paciência para ler...haha' considerar-se uma aberração por ser virgem? Grande coisa kkkk' tanta coisa mais importante para se preocupar, e a Ellie se martelando por uma coisa que um dia vai acontecer, mas não adianta nada ficar querendo apressar, né? Parece ser bom, mas, ao mesmo tempo, tem essa questão *-*
    MilkMilks ♥
    http://shakedepalavras.blogspot.com.br/2018/01/underground-airlines.html

    ResponderExcluir
  12. Oi, nossa, parece ser uma leitura bem divertida, não é? E eu concordo sobre tirar uma estrela do livro. Acho que tem tempo pra tudo, inclusive perder a virgindade. Também não concordo com o ponto de vista levantado pelo livro. Mas sua resenha está otima e o livro parece ser uma boa pedida pra quem gosta de uma leitura mais leve.

    www.porredelivros.com

    ResponderExcluir
  13. Olá!
    Eu ja tinha visto sobre esse livro e apesar de iniciar bem, não concordo com o rumo que o desenrolar dessa narrativa toma. Acho que tudo tem seu tempo e temos que desenvolver de acordo com cada etapa da vida, sem ficar pulando as fases.
    Com certeza não lerei essa obra por não me desperta interesse.
    Gostei da sua opinião sincera.
    Beijos!

    Camila de Moraes.

    ResponderExcluir
  14. Oi, tudo bem?

    Não conhecia ainda este livro. Quando vi a capa, acho que confundi com outro livro. Mas enfim... o título é bem diferente, isso somado ao enredo, não me deu muita vontade de ler a obra. Posso estar perdendo uma leitura bem legal, mas vou passar a dica dessa vez. Quem sabe em um outro momento?

    Beijos.

    ResponderExcluir
  15. Olá Stefani!!!
    Esse livro já está na minha lista de quero ler com toda certeza, pois não teve como eu resisti e não achar graça com o que você ia contando sobre o livro aqui na sua resenha.
    Realmente acho que as pessoas andam acelerando um pouco a situação da perca da virgindade , eu vejo muitas jovens nos 12 para frente perdendo a virgindade muito cedo e é uma opinião minha mas por mais que a pessoa esteja preparada ou fale sobre o assunto ainda é uma criança que tem muita coisa ainda para aprender.
    Eu gostei do livro e gostei que ele trás assuntos femininos e que a gente vai se identificar com toda a certeza.
    Parabéns pela resenha!!!

    lereliterario.blogspot.com

    ResponderExcluir
  16. Oi, stef. Esse livro parece completamente intrigante, mas também completamente polêmico, principalmente pela história de sexo aos treze anos. Mas gostei de saber sobre esse empoderamento feminino e essas identificações que sofremos ao longo da narrativa.

    ResponderExcluir

 
© Galáxia de Ideias, VERSION: 01 - BLUE UNIVERSE - janeiro/2018. Todos os direitos reservados.
Criado por: Maidy Lacerda. Widget inspirado/base do menu por MadlyLuv
Tecnologia do Blogger.
imagem-logo