RESENHA DE A MULHER NA JANELA – POR A.J. FINN
RESENHA DE CONTAGEM REGRESSIVA – POR KEN FOLLETT
RESENHA DE UM SEDUTOR SEM CORAÇÃO – POR LISA KLEYPAS

[Resenha] Amor Vampiro - Por Vários Autores

27 fevereiro 2018

Título: Amor Vampiro
Autor (a): Vários autores
Páginas: 176
Editora: Giz Editorial
Skoob || Goodreads
Compre: Amazon || Submarino || Americanas

Sinopse: Amor! Por ele o homem foi levado a realização de grandes feitos. Mas, também sob sua influência cometeu grandes atrocidades. Diante disto, o que aconteceria se tal sentimento dominasse um ser maléfico e que perambula pelas sombras buscando saciar seu desejo? Adriano Siqueira, André Vianco, Martha Argel, J. Modesto, Nelson Magrini, Regina Drummond e Giulia Moon, ícones da literatura fantástica nacional, se reuniram para responder a questão e desvendar o AMOR VAMPIRO!



Uma bruxa e um vampiro resolvem testar seus limites.

Uma noite aparentemente comum pode tornar-se algo fantástico quando uma esposa espera seu marido para uma festa à fantasia.
A noite dos sonhos de um garoto provavelmente vai virar um pesadelo.
Um homem muito religioso acolhe uma mulher grávida e sozinha e não muito tempo depois nasce uma menina, Miriam. Ele não sabe, entretanto, que enfrentará um problema muito maior que o suicídio da mãe da criança para salvar a pequena de um trágico destino.
Pode um sentimento de vingança tornar-se amor? Giuliano irá descobrir quando tentar vingar a morte do irmão.

“Quando cheguei perto do seu pescoço, ela me agarrou forte. Ela queria isso... Eu finalmente mordi! Ela sentia cada mordida.
Seu sangue, no começo, parecia ser difícil de sair, mas depois ficou cada vez mais doce. Ela segurava meu cabelo... Quase arrancando. Não gritava, apenas soltava alguns soluços pequenos... Ela estava chorando.
Eu a agarrava cada vez mais forte! Ela estava muito carinhosa... Começou a me beijar e eu aprofundei minhas presas em seu pescoço!” – Pág. 10

Um ataque vampírico tem lá suas consequências e traz possibilidades.
Pode um anjo e uma vampira se apaixonarem e viverem esse amor?
Vampiros são seres cientificamente explicáveis? Isabella, uma vampira, começa a considerar a possibilidade ao encontrar uma pessoa que entende mais dela do que ela mesma.
Um rapaz, após uma feia briga com pai, agora casado com uma mulher que o filho odeia, pode ter selado seu destino ao entrar em um casarão aparentemente abandonado.
Um homem está fazendo seu trabalho de olheiro, mas talvez seja ele quem está sendo observado.

Dez propostas. Sete autores. Um tema: os bons e velhos vampiros.
Amor Vampiro é uma antologia de dez contos escritos por sete autores, sendo três e dois deles escritos por um único autor.






Li em um final do ano, quando não tinha nada melhor para fazer e não me arrependi de ter lido nem por um minuto lá em 24 de dezembro de 2013, no que comprei dia 23 em um sebo local. Posso garantir a vocês, galácticos leitores, que valeu a pena ter passado o dia inteiro colada nele porque foi uma experiência e tanto, onde conheci ótimas, e porque não originais, tramas. Além de autores que até então eu não havia ouvido falar.

Começo a comentar pelos contos de Adriano Siqueira, que conheci e conheço como Lord Dri desde ser uma garotinha (vou fazer trinta anos agora em abril) nos grupos do Yahoo do tempo em que eu dependia de computadores públicos para ter acesso à internet…

O outro lado do espelho é uma daquelas histórias curtas que te pega de jeito sem precisar de muitas páginas. Você acha que a coisa vai acabar de um jeito e quando menos se espera, acontece algo totalmente fora da caixa. Aí você pensa: tiro rápido, mas bem dado que me acertou em cheio de tão bom que esse conto foi.

“– Quer saber que tipo de monstro eu sou? Sou um monstro que pode lhe trazer o prazer e a vida. Ou a dor e a morte. Você agora é meu e seu destino me pertence. Por enquanto decidi que você viverá e terá prazer. Mais tarde veremos. Por agora... durma.
Os olhos se fecharam e quase no mesmo instante ele caiu num sono profundo.” – Pág. 53

O dia dos vampiros (um feriado real, 13 de agosto, criado pela maravilhosa, linda, anjo, diva Mariliz Marins, conhecida como Liz Vamp, a filha de ninguém menos que o Zé do Caixão), é de longe o mais negramente cômico dos contos. Começamos com um marido esperando a esposa com quem ele se casou por interesse e quem ele vive traindo. De repente, passamos para um “barato doido de viagem no tempo” (wibbly wobbly timey wimey. Nisso que dá ser whovian.), de onde surge certo ser de nome Lord Dany Rey I. Que logo de cara conquista nossa “sofredora esposa” (que de sofredora tem nem a cara), que alguns minutos depois se revela uma bruxa, ainda que amadora. Além de me fazer rir não só com o modo como as coisas acontecem, mas também com uma auto referência que me fez ficar vermelha de tanto dar risada (é só observar com cuidado a junção das iniciais). Eu juro que deu para imaginar o autor sendo o vampiro. Uma estatura mediana misturada a um sorriso amistoso. Eu consegui me imaginar amiga desse cara. (E orgulhosamente sou, *risos*.)

A grande chance é outro “wibbly wobbly timey wimey” em que no final você não entende exatamente o que houve e cria um milhão de possibilidades, sendo justamente essa a graça do conto e o que faz com que a narrativa seja interessante.

Segue o baile e vamos para André Vianco, autor de Os sete (tenho que recomeçar), Sétimo, Bento, O vampiro-rei 1 e 2, O turno da noite, O caso Laura (que eu já li e amei), Dartana (apaixonada ever) e por aí vai de tanta coisa boa.

“A noite mal havia chegado e com ela um sentimento de luxúria inevitavelmente invadiu-lhe o corpo. Uma brisa gélida e suave soprou vinda da janela aberta às suas costas enquanto a jovem sentava-se na beirada da cama. A chegada do misterioso senhor da noite era inevitável e seu corpo já dava sinais de impaciência enquanto o aguardava.” – Pág. 87.

A canção de Maria me fez enxergar certa música de ninar de uma forma bem diferente depois de lê-lo. Tanto é que eu não tirei a danada da minha cabeça por uns quatro dias. Uma excelente narrativa cuja tensão cresce a cada página, fazendo a garganta ficar com um grito preso até o final, quando o que deveria ser uma exclamação de pânico vira de alívio. Foi desse modo que me senti após o fim: respirei tão fundo que quase perdi o ar.

Vamos agora para a distante e fascinante Itália Renascentista através dos olhos de Martha Argel, minha bióloga de aves favorita desde sempre, e sua narrativa A flor do mal. Tudo começa em uma noite qualquer, quando Francesca Fornasari, devo dizer velha conhecida minha de outro livro dela que eu resenhei aqui, está voltando para casa após uma caçada noturna. Atacada de surpresa por um jovem mortal chamado Giuliano Sacchetti, o primeiro encontro entre eles não exatamente termina bem, mas culminou em algo inesperado.

A partir disso, as coisas tomam um rumo que particularmente eu não esperava. Seriamente pensei e ainda estou pensando: ela é uma vilã de fato ou apenas uma vítima das circunstâncias? Não é uma pergunta para qual achei resposta, diga-se, mas o título do conto é justificado com perfeição. Giuliano Sacchetti é um curioso e levemente complicado caso de evolução de personagem e realmente quero saber mais dele além do que foi contado nesse conto. Ou será que Argel resolveu deixar o resto da história para nossa mente?

“Era óbvio que o neto estava procurando algum motivo para justificar a não leitura do livro que provavelmente havia sido indicado por uma professora. Com certeza tal tarefa poderia ser imposta, mas isto não era aconselhável. Em sua longa experiência com crianças, primeiro como mãe depois como avó, Oféli descobrira que a melhor forma de fazer com que uma criança fizesse algo era despertar-lhe o interesse. E era exatamente isto que ela iria fazer com o neto.” – Pág. 98

J. Modesto, em seu turno, nos oferece Amante Notívago, uma narrativa no melhor estilo Hammer Films em que temos um confronto sério entre o Conde e o Vampiro além de toques eróticos que aparentemente só servem para mostrar o quão sedutora é a criatura sem nome, mas que na verdade levam muito mais longe que isso. Só mesmo no final é que vamos saber o quão distante vai. Devo dizer, não esperava apesar de que já suspeitava. Imagina um universo expandido? (Senhor Modesto, favor anotar essa ideia.) Aposto que ficaria interessante. Talvez um dia…

O segundo round dele, porém, nos presenteia com O anjo e a vampira, uma história de amor diferente e ao mesmo tempo, dotada de um romantismo tão lindo que torci pelo casal apaixonadamente. O recurso de “contação de histórias” é muito bem usado para mostrar o quão bonito é o amor que aceita todas as aparências, formas e cores sem pensar e o quanto longe se pode ir por ele, cuja resolução me fez tomar um nocaute de tristeza. Modesto WINS!

Nelson Magrini, outro autor consagrado, chega “quebrando a banca” com Isabella, um excelente exemplar de como, em apenas algumas páginas, é possível fazer uma personagem sair do lugar comum e principalmente, cuja forma achei uma sacada de GÊNIO, tornar vampiros cientificamente explicáveis. Além, é claro, de mostrar ser possível amar sem barreiras. Definitivamente esse conto deveria ser utilizado em aulas de Física. Verdade que o Nelson não se aprofunda em conceitos físicos, mas seria uma introdução muito interessante e temos um exemplo perfeito para ensinar os menos interessados na matéria citada.

“O casarão da esquina era imponente, embora num primeiro olhar só fosse possível ver os telhados rodeados de muros altos e portão largo na frente. Descascando aqui e ali, os muros impediam a visão dos passantes, mas o portão exibia seu sorriso desdentado de grades bordadas, deixando entrever as varandas que o rodeavam e o jardim selvagem, onde as samambaias tinham se agrupado como cachos de espadas, enquanto heras, cipós e lianas sufocavam as árvores. As mais altas mostravam partes de copas, e, muito acima dos muros, uma imensa tamareira se destacava contra o céu.”- Pág. 133

Regina Drummond nos serve, em bandeja de ouro, A velha, o jovem e o casarão, uma curiosa narrativa “cíclica” (reparem nas aspas) sobre um velho e aparentemente abandonado local, o cenário para a história que se desenrola logo em seguida da “introdução” (novamente atentem para as aspas). O jovem do título, que é sem nome propositadamente, tem um “arranca-rabo” sério com o pai, casado com uma mulher que o moço detesta, e resolve ganhar o mundo e trilhar seu próprio caminho, no que ele se depara com a casa. Ele aceita a hospedagem, a comida e o pouso. Para, lá no final, não sabermos o que de fato aconteceu, apesar de que o implícito não é muito bonito de se imaginar. Sendo justamente o mistério que torna a história interessante.

O conto que fecha o livro é da autoria de ninguém menos que Giulia Moon, outra amiga minha, que nos traz sua vampira oriental Kaori em Dragões Tatuados, antes que viéssemos a conhecê-la melhor em Kaori – Perfume de Vampira. O que dizer desse conto danado? Uma narrativa onde Samuel Jouza (não é Souza), velho conhecido meu do livro mencionado está fazendo seu trabalho de vampwatcher (em bom português, “olheiro de vampiros”) e pouco depois do começo do conto, descobre ter sido vítima de certa vampirinha muito fogosa. A partir daí, do jeito que só a titia Giu sabe descrever, temos uma sucessão de eventos que nos dá uma bela ideia do risco que Jouza corre dando uma de “espião sobrenatural”. Como não podia deixar de ser, porque isso é a cara da autora, há cenas quentes envolvendo a vampira e o olheiro. Por motivos desconhecidos, entretanto, Kaori toma uma decisão que eu francamente não esperava. Confesso que fiquei imaginando mil motivos para tal situação, mas, no fim, achei esse conto um excelente modo de introduzir Kaori para quem não a conhece ainda.

O livro, no geral, nos oferece um belíssimo e saboroso banquete de contos que eu recomendo seriamente, pois nesse pequeno livro está reunido o que há de melhor na literatura fantástica nacional.









Renata Cezimbra
Professora desempregada, leitora voraz,
escritora doida e vampiróloga amadora.
26 Comentários | BLOGGER
Comentários | FACEBOOK

26 comentários:

  1. Olá!

    Caramba, que dica de ouro! Para pessoas como eu que amam esse universo sobrenatural, a dica é válida e muito admirada. Já estou louca para conseguir ler e conhecer cada um desses contos. Adorei a resenha!

    Abraços

    ResponderExcluir
  2. Olá,

    Confesso que eu gosto muito de antologias, é um bom gênero para sair da ressaca literária e conhecer o trabalho de vários autores, mas infelizmente terei que passa a dica dessa vez, pois não gosto de histórias que contém vampiros no meio, elas não me cativam tanto como as outras!

    → desencaixados.com

    ResponderExcluir
  3. Oiii,

    Que dica interessante, apesar de ter algum tempo que eu não leio nada que fale de vampiros é um tema que eu acho muito interessante. De todos o que eu mais fiquei curiosa foi para saber qual canção de ninar mudou para você depois da leitura kkkk adoro novas leituras de coisas da infância.

    Beijinhos...
    http://www.paraisoliterario.com/

    ResponderExcluir
  4. Uau quantos contos bacanas e quantos nomes da literatura fantastica nacional. Amo histórias com vampiros e enredos originais. Gostei bastante da dica do livro e leria com certeza. Sua resenha ficou incrivelmente divertida de ler ❤

    Beijos,
    Conta-se um Livro

    ResponderExcluir
  5. Destes eu só conheço André Vianco e sei que ele tem um dom para a escrita mas não sei se eu leria se bem que quando são contos apesar de eu raramente ler, por ser mais sobre vampiros eu acho que gostaria de conhecer as histórias melhor.

    ResponderExcluir
  6. Oi, Renata! Não curto muito histórias com vampiros, mas a proposta dos contos é bastante atraente. Se tiver oportunidade de sair da zona de conforto, lerei com certeza!
    Bjs
    Lucy - Por essas páginas

    ResponderExcluir
  7. Olá, tudo bem?

    Eu confesso que não conhecia esse livro, eu gosto de antologias e livros de contos, também curto histórias que envolvam vampiros e o sobrenatural, por isso vou anotar a sua dica e pesquisar mais sobre esse livro!
    Abraço!

    ResponderExcluir
  8. Olá! Eu não conhecia o livro e, apesar de gostar bastante de contos, não fiquei muito interessada na leitura. Acho que farei uma pesquisa maior, para ver se o interesse surge.

    Um beijo,
    http://www.livroapaixonado.com.br/

    ResponderExcluir
  9. Parabéns antecipado pelo niver e bem vinda ao clube dos 30 rsrs.
    Nunca tinha visto o livro, mas achei extremamente inovadora essa mistura de vampiro com anjo e claro que sua resenha desperta muita curiosidade, tornando tudo muito misterioso. Adorei.

    Abraços.
    https://cabinedeleitura0.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  10. Olá!
    Algumas autoras como Giulia Moon e Martha Argel já conhecia, os demais nunca tinha ouvido falar. Há alguns anos atrás eu teria adorado essa coletânea, mas agora, não consegui me interessar muito por nenhuma das narrativas, fiquei meio saturada do gênero. =/
    Bjs

    ResponderExcluir
  11. Oi, Renata.
    Me lembro de quando esse livro foi lançado e cheguei até a ter um exemplar. Uma pena que não consegui ler. Acabei dando o livro de presente e agora bateu até um arrependimento!! Rs...
    Beijos
    Camis - blog Leitora Compulsiva

    ResponderExcluir
  12. Oi, Renata. Eu não conhecia o livro e gostei de ver as suas impressões com a leitura, a premissa não havia me deixado curiosa, mas ao ler a sua opinião eu fiquei mais interessada.

    ResponderExcluir
  13. Oi, tudo bem? Não conhecia o livro, mas não me interessou, sabe? Vampiros saturaram completamente a minha paciência, depois de Crepúsculo, e me mantenho bem longe desse tipo de narrativa, especialmente se têm a ver com amor romântico. Claro, eu leria alguns contos que não repetem esse clichê, mas, de forma geral, o livro realmente não me chama atenção.

    Love, Nina.
    www.ninaeuma.blogspot.com

    ResponderExcluir
  14. Oie!
    Ainda não tinha visto nada sobre esse livro, mas não fiquei com muita vontade de ler, rs. Fiquei um pouco enjoada pra ler sobre vampiros, já que o tema se tornou muuuito recorrente. Mas para quem curte, deve ser uma ótima pedida!

    ResponderExcluir
  15. Olá Renata!
    Essa é uma dica maravilhosa. Amo leituras sobrenaturais apesar de estar lendo pouco o gênero no momento, mas só de ver que os contos são bem construídos, fica a sensação de que a leitura nos prende a tal ponto que só paramos ao término de todas as obras.
    Fiquei bem interessada e vou deixar anotado pra ler em algum momento.
    Beijos!

    Camila de Moraes

    ResponderExcluir
  16. Olá Renata,
    Eu ainda não conhecia esse título e confesso que não fiquei muito interessada em fazer essa leitura, mesmo amando obras que retratam vampiros e esta parecer tão bem construída. Eu acho que estou um pouco cansada desse estilo de livro neste momento, sabe? Entretanto, fico contente que você tenha gostado e que o indique.
    Beijos,
    http://www.umoceanodehistorias.com/

    ResponderExcluir
  17. Oi, Renata!
    Adoro antologias de contos porque podemos conhecer a escrita de vários autores em uma tacada só haha Já li algumas coisas do J Modesto e gosto bastante de seu estilo de escrita. Não sabia que ele tinha participado desse livro haha. Adorei a dica, vou marcar na minha lista para a próxima vez que for em livraria/sebo hehe
    Beijos!

    ResponderExcluir
  18. Amo livros de contos, amo vampiros, agora fiquei interessado em ler o livro, obrigado pela resenha e pela indicação.

    ResponderExcluir
  19. Oi
    não conhecia esse livro da Giz, e olha que sou autora da casa. Achei a capa feia, mas a proposta muito boa, parece uma daquelas relíquias que a gente encontra sem querer e se diverte muito. Outra coisa, amo ler contos.

    ResponderExcluir
  20. Oi, renata. Eu nunca fui dada a leitura de coisas com vampiros, mas acho que esse livro encararia, principalmente por ser curto, trazer contos e pelo que parece temos diferentes gêneros e tipos de narrativa, já que foi feito por vários autores. Alguns eu já havia ouvido falar, outros autores, são novos para mim.

    ResponderExcluir
  21. Olá!
    Por mais que eu tente me impedir de acreditar, sou louca por histórias de vampiros. Gosto bastante dos clássicos góticos e os baseados neles, com toda sua atmosfera escura e pessimista do gênero.
    Gostei de saber que esse livro, por mais que fale de amor também, traga coisas tão peculiar a cada conto. Confesso que o que mais me deixou curiosa foi o da Giulia Moon, não só porque adoro a cultura oriental, mas tb pq conheço a autora e nunca tive uma chance de ler algo dela (por mais que acredite que seja incrível). Me interessei muito também pelo conto do André Vianco.

    ResponderExcluir
  22. Olá!

    Mesmo não sendo fã e contos, eu amo vampiros, com suas construções diferentes, independente eu adoro e com certeza vou conferir essa dica maravilhosa em breve. Adorei a resenha, muito completa.

    Beijos

    ResponderExcluir
  23. O livro é bem interessante, mas confesso que com essa capa e o fato de serem contos não fico lá muito animada em conhecer. Fico feliz que tenha gostado e ressaltado o que gostou. É bom quando gostamos de uma leitura.

    Raíssa Nantes

    ResponderExcluir
  24. Olá!
    Não achei interessante a premissa, não curto muito esse lance de vampiros. Já li livros com personagens vampiros e foram os que mais detestei. Mas parabéns pela resenha, adorei seu ponto de vista.

    Abraços.

    ResponderExcluir

  25. Oi!

    Eu não leio há tempos coisas com vampiros, mas achei essa capa bem interessante e por ser contos, acaba sendo bem mais fácil lê-los e se inserir dentro desse universo. Não conhecia o livro, mas adorei a sua resenha e a proposta dele. :D

    beijos!

    ResponderExcluir
  26. Oi gente! Tudo bem?
    Desculpem que eu demorei a comentar aqui, mas andei passando por uns perrengues básicos com o note que eu usava. Leia-se, ele era muito instável e constantemente o navegador trancava.
    MUITO agradecida pelo feedback de vocês sobre a resenha de "Amor Vampiro"! Não vai demorar muito para eu trazer a vocês mais um post cheio de qualidade!
    Abraços e beijos da Lady Trotsky...
    http://www.galaxiadeideias.com/
    http://osvampirosportenhos.blogspot.com

    ResponderExcluir

 
© Galáxia de Ideias, VERSION: 01 - BLUE UNIVERSE - janeiro/2018. Todos os direitos reservados.
Criado por: Maidy Lacerda. Widget inspirado/base do menu por MadlyLuv
Tecnologia do Blogger.
imagem-logo