RESENHA DE UMA HISTÓRIA DE VERÃO – POR PAM GONÇALVES
RESENHA DE UM BEIJO Á MEIA-NOITE – POR ELOISA JAMES
RESENHA DE OS PÁSSAROS – POR FRANK BAKER

[Resenha] Talvez um dia - Por Colleen Hoover

05 fevereiro 2018

Título: Talvez um dia
[Maybe #1]
Autor (a): Colleen Hoover
Páginas: 368
Editora: Galera Record
Skoob || Goodreads
Compre: Amazon || Submarino || Americanas

Sinopse: Um dos livros mais comentados de 2015, nos Estados Unidos, este é mais um sucesso arrebatador de Colleen Hoover, autora das séries Slammed e Hopeless.
Sydney acabou de completar 22 anos e já fez algo inédito em sua vida: socou a cara da ex- melhor amiga. Até hoje, ela não podia reclamar da vida. Um namorado atencioso, uma melhor amiga com quem dividia o apartamento... Tudo bem, até Sydney descobrir que as duas pessoas em quem mais confiava se pegavam quando ela não estava por perto. Até que foi um soco merecido. Sydney encontra abrigo na casa de Ridge. Um músico cujo talento ela vinha admirando há um tempo. Juntos, os dois descobrem um entrosamento fora do comum para compor e uma atração que só cresce com o tempo. O problema é que Ridge tem uma namorada, e a última coisa que Sydney precisa agora é se transformar numa traidora.



"Não é fácil vencer uma guerra travada contra seu coração."

Sydney era uma jovem de vinte e dois anos que mantinha uma boa vida fazendo o curso universitário com o qual sempre sonhara,  morando com a melhor amiga e namorando Hunter, um cara lindo e atencioso com quem ela imaginava que teria um relacionamento duradouro. No entanto, todas as suas crenças de estabilidade vão por água a baixo no dia em que ela chega em casa, imaginando que teria uma surpresa de aniversário, e só encontra sua melhor amiga e seu namorado se beijando, e descobre que aquela traição já ocorria há um longo tempo. É dessa forma que a garota dá um soco no nariz de Tory, sua agora ex melhor amiga, e sai, apenas com uma mala a tiracolo, debaixo de chuva, sem ter para onde ir. Logo, seu salvador aparece em forma de um lindo rapaz, Ridge, o vizinho do apartamento da frente, com quem Sydney vinha se correspondendo há algumas semanas, após o dia em que ele a flagrou observando-o tocar violão, e mais, a viu cantando uma letra para a canção instrumental que ele tocava, o que o fez implorar para que ela passasse a compor canções para a banda dele, uma vez que ele passava por um terrível bloqueio criativo nos últimos tempos.

"No fundo, sei que eu não queria ter nada com ele, principalmente nesse momento da minha vida. Sei que preciso ficar sozinha. Quero ficar sozinha. Mas também sei que o motivo de eu estar me sentindo tão confusa diante disso tudo é que ainda tinha um pouco de esperança. Embora não estivesse pronta para nada nesse momento, pensei que houvesse a possibilidade. Presumi que talvez um dia, quando me sentisse pr6onta, as coisas poderiam evoluir entre nós dois.
No entanto, após Maggie entrar em cena, percebo que não poderá haver um talvez um dia entre nós. Nunca haverá talvez um dia. Ele a ama, e ela obviamente o ama, e não posso culpá-los, porque, seja lá o que eles têm, é lindo. O modo que se olham, como interagem e se preocupam um com o outro é algo que eu não me dera conta de que faltava entre mim e Hunter.
Talvez um dia eu tenha isso também, mas não com Ridge, e saber disso diminui qualquer raio de esperança que brilhara em meio à tempestade que atingira minha semana."

Após o choque inicial, Sydney se instala na casa de Ridge, e mesmo que até então seus contatos se davam por mensagem de texto, a recente proximidade física se mostra calorosa e natural, como se eles se conhecessem a tempos. Além disso como Sydney iria compor as canções para Ridge, ele decidiu que seria importante que ela ficasse por perto e passasse a ocupar o quarto vago no apartamento que ele dividia com outras duas pessoas. Logo, os dias passados juntos e a conexão quase mágica que os fazia compor juntos se transforma em uma intensa atração, que não pode se concretizar, uma vez que Ridge possui uma namorada, Maggie, uma mulher admirável, incrível e que ele pretende proteger e cuidar a todo custo, mesmo que para isso tenha de sacrificar o recente sentimento que vem surgindo.  Porém, à medida em que Sydney e Ridge desenvolvem mais a paixão, é inevitável que aqueles que estão ao seu redor percebam, e que eles sejam forçados a tomar uma decisão, seja ela de assumir aquilo de vez ou então de darem um adeus único e definitivo um ao outro.

"Meu Deus, odeio sentimentos. E a minha consciência. Os dois estão travando uma guerra sem fim, e não sei ao certo qual prefiro desligar."

Em um enredo que nos conquista nos primeiros parágrafos, Colleen Hoover nos coloca diante de dilemas morais pertinentes, que mexem com a nossa mente e nos fazem sentir os sentimentos de cada personagem e também nos leva a nos colocarmos no lugar de cada um deles, imaginando suas atitudes e consequências.

"Às vezes as palavras podem causar um efeito muito maior no coração do que um beijo."







Quando esse livro foi lançado, houve um forte burburinho em torno dele. Mas, como já relatei aqui no blog, sempre que um livro faz tanto sucesso eu às vezes fico com receio de ler e de ele não ser tudo aquilo que eu imaginava através dos comentários. Foi assim que o deixei de molho por tanto tempo, mas após ler Confesse, dessa mesma autora, me senti imediatamente no desejo de ler mais coisas dela, e ele estava lá, prontinho na minha lista de livros me aguardando. Admito que me surpreendi completamente, tanto com a construção da história em si, quanto com os meus sentimentos em relação a ela, uma vez que eu tenho opiniões bastante inflexíveis em relação a traição, mas esse livro mexeu com todos os meus sentimentos, e me fez entender coisas que antes eu talvez não entenderia, e mostrou que as vezes algo parece uma coisa por fora, mas quando se vai mais a fundo nessa determinada coisa percebe-se que é algo totalmente diferente.






Em primeiro lugar, é preciso tranquilizá-los com o fato de a sinopse, e até mesmo meu resumo acima, indicarem uma suposta traição de Ridge e de Sydney em relação a namorada. Sim, há um sentimento crescente e algumas outras coisas que encontraremos no decorrer do livro, mas esses possuem um longo processo e vários envolvidos, e não devemos começar o livro com julgamentos prévios de que teria acontecido uma efetiva traição, e sim é importante que nos permitamos acompanhar a leitura página a página, até chegarmos ao final.

Dito isso, devo ressaltar que esse livro é cheio de temas relevantes, como a paixão dos personagens pela música, a escolha de jovens por carreira, e, novamente, como é de praxe nos livros de Colleen, temos aqui dois jovens bastante feridos pela vida e que possuem em si uma carga muito maior do que deveriam suportar com tão pouca idade. Ainda, tem todo o clima que gira em torno da paixão de Sydney e Ridge, e da presença da namorada dele, o que nos deixa por diversos momentos completamente divididos, pois ambas as personagens são incríveis, e torcemos por um final feliz para todos, ainda que saibamos que haverá um pouco de sofrimento nesse caminho. Além disso, o livro trabalha outra temática incrível, que é algo que diz respeito a um dos cinco  sentidos de Ridge, e sobre o qual não posso falar muito, senão seria spoiler (e eu recebi um belo spoiler a respeito no passado e não gostaria de fazer o mesmo aqui), mas só digo que foi algo completamente incrível, que não encontramos em muitos livros e que foi trabalhado de forma perfeita, e trouxe diversos questionamentos com os quais eu me identifiquei.






Há duas coisas que gosto muito nos livros da Colleen Hoover, e encontrei-as aqui novamente: a primeira é o fato de mesmo com tanto peso na vida, tantas decepções ou seja lá o que cerca cada personagem, ainda assim eles tem um misto de maturidade e de juventude que se torna encantador, e ao mesmo tempo que estes lidam com temas fortes e pesados, também saem para se divertir e aproveitar a vida. Em segundo lugar, mais uma vez Colleen traz um romance belo no livro, mas este não se torna o único foco do enredo, e não fica girando em torno de cenas amorosas e cheias de "eu te amo", e embora também tenhamos estas, a história abrange um núcleo amplo, alcançando amigos e família dos personagens, nos apresentando também os sentimentos, personalidades e problemas e sonhos destes.






Como já visto, esse livro traz a temática da traição que é, por si só, muito contraditória, então, esse pode ao mesmo tempo se tornar um ponto completamente positivo ou negativo para o leitor, e tudo dependerá muito das crenças de cada um e da forma como lidarão com os acontecimentos da trama. Além disso, o livro traz essa forte pitada de drama que é característica da autora, e para aqueles que procuram tramas mais leves e despidas de personagens quebrados, esta não será uma boa recomendação.

Assim como aconteceu em Confesse, Colleen mais uma vez inovou ao trazer um protagonista artista que se difere da maioria dos estereótipos de recluso e diferente. Ridge é um rapaz lindo, que nos cativa e que demonstra ter uma pureza incomum no coração, colocando os sentimentos dos outros a frente dos seus, o que muitas vezes o leva a fazer coisas contrárias ao que o seu coração pede. Já Sydney é também uma personagem igualmente cativante, e seus dilemas me tocaram bastante, e me fizeram refletir muito. Mas, acho que para mim, o destaque de grande personagem feminina do livro fica para Maggie, a namorada de Ridge, que é uma mulher completamente incrível, determinada e disposta a fazer aquilo que ama. Ela possui uma força incomum, e conseguiu me deixar completamente fascinada. Além desses, que são os principais, temos também Warren, Bridgette e Brennan, os dois primeiros são amigos de Ridge que moram com ele, e o último é seu irmão, e todos possuem papel fundamental em todos os acontecimentos do livro.






O enredo é dividido em 25 capítulos, e narrado em primeira pessoa, em pontos de vistas alternados, sendo que em alguns momentos encontramos os pensamentos e sentimentos de Sydney, e em outros de Ridge. Além disso, como é um livro que fala muito em música, e em vários momentos os personagens inclusive compõem letras, a autora criou, em conjunto com um cantor, uma trilha sonora especial para a história, que pode ser acessada com um qr code ou por um link, que ela nos deixa logo no início da obra. Cabe ainda destacar que já foi lançado um segundo livro que se passa nesse mesmo universo, mas este aborda um outro casal que encontramos em Talvez um dia, porém ele não foi lançado ainda no Brasil.






Recomendo esse livro para todos os fãs da autora, ou ainda para aqueles que gostariam de conhecê-la e não sabem por onde começar, pois essa história é incrível, e traz romance, drama, dilemas e humor todos na medida certa de nos encantar e de nos deixar apaixonados, e ao seu término  nos deixa ávidos pela próxima trama arrasadora e  linda como são as escritas por Colleen Hoover.









Tamara Padilha
Leitora compulsiva com foco em quase todos os gêneros
(exceto os romances de época e ficção científica).
Apaixonada por escrita, e em breve bacharel em direito.
0 Comentários | BLOGGER
Comentários | FACEBOOK

0 comentários:

Postar um comentário

 
© Galáxia de Ideias, VERSION: 01 - BLUE UNIVERSE - janeiro/2018. Todos os direitos reservados.
Criado por: Maidy Lacerda. Widget inspirado/base do menu por MadlyLuv
Tecnologia do Blogger.
imagem-logo