RESENHA DE A MULHER NA JANELA – POR A.J. FINN
RESENHA DE CONTAGEM REGRESSIVA – POR KEN FOLLETT
RESENHA DE UM SEDUTOR SEM CORAÇÃO – POR LISA KLEYPAS

[Resenha] A mulher na Janela - Por A.J. Finn

26 março 2018

Título: A mulher na janela
Autor (a): A.J. Finn
Páginas: 352
Editora: Arqueiro
Skoob || Goodreads
Compre: Amazon || Submarino || Americanas

Sinopse: Anna Fox mora sozinha na bela casa que um dia abrigou sua família feliz. Separada do marido e da filha e sofrendo de uma fobia que a mantém reclusa, ela passa os dias bebendo (muito) vinho, assistindo a filmes antigos, conversando com estranhos na internet e... espionando os vizinhos. Quando os Russells – pai, mãe e o filho adolescente – se mudam para a casa do outro lado do parque, Anna fica obcecada por aquela família perfeita. Até que certa noite, bisbilhotando através de sua câmera, ela vê na casa deles algo que a deixa aterrorizada e faz seu mundo – e seus segredos chocantes – começar a ruir. Mas será que o que testemunhou aconteceu mesmo? O que é realidade? O que é imaginação? Existe realmente alguém em perigo? E quem está no controle? Neste thriller diabolicamente viciante, ninguém – e nada – é o que parece. "A Mulher Na Janela" é um suspense psicológico engenhoso e comovente que remete ao melhor de Hitchcock.

Anna Fox é Agorafóbica (medo de sair de casa) devido à um trauma adquirido. Como consequência hoje ela vive reclusa e sozinha na casa onde antes abrigava seu marido Ed e sua filha de oito anos Livy, mas isso não a impede de falar com ambos todos os dias. Com pouco para se fazer, Anna passa seus dias assistindo filmes antigos, fazendo terapia, bebendo vinho, navegando pela comunidade Ágora onde ajuda pessoas através de sua profissão – psicóloga – que estão enfrentando o mesmo trauma, e por fim, espiando a vida de seus vizinhos através da janela pela lente de sua Nikon. Ela imagina cada cenário protagonizado por cada um, as traições, as mentiras, os encontros, o amor, etc...

"Como médica, digo que o paciente precisa estar num ambiente que ele seja capaz de controlar. Essa é minha avaliação clínica. Como paciente, digo que a agorofobia não veio para destruir minha vida: ela agora é a minha vida."

Tudo muda quando os Russells mudam-se para o outro lado do parque. Anna observa o relacionamento perfeito da família, e logo se lembra de sua antiga vida antes da separação. Pai amoroso, mãe atenciosa e filho carinhoso. Observá-los se torna sua obsessão. No entanto essa bolha aparente de felicidade logo estoura quando ela conhece Ethan, filho do casal, e percebe que tudo não passa de uma fachada, pois o garoto carrega traços de abusos doméstico. Sua desconfiança logo se concretiza quando ela conhece Jane Russell, mãe da família.

"[...] Uma doida aos olhos dos vizinhos. Uma piada aos olhos da polícia. Um caso especial aos olhos dos médicos. Um caso perdido aos olhos do terapeuta. Um encarcerada. Longe de ser uma heroína de cinema. Longe de ser uma detetive.
Encarcerada em casa. Afastada da vida."

As duas formam uma breve amizade onde Jane aparece na casa de Anna e elas passam o tempo conversando, bebendo e jogando xadrez. No entanto Anna vê sua vida controlada e segura ser abalada quando testemunha algo através de sua janela e quando conta o que viu ninguém acredita. Mas como poderiam acreditar? Ela bebe, toma remédios e ainda é agorafóbica, mas ela sabe o que viu, e fará de tudo para provar que não é paranoia e que não é alucinação de sua mente perturbada.

"[...] E não venha me dizer o que vi ou deixei de ver. Eu sei muito bem o que vi!"









A mulher na janela se tornou o livro mais difícil do qual já fiz uma resenha. Parece que qualquer coisa que eu fale pode tirar uma completa experiência de leitura, e ele merece ser lido e degustado sem que o leitor saiba muito sobre ele, dessa forma começo dizendo que é um livro que pega todos os clichês e os torna únicos.






A narrativa é feita através do ponto de vista da Anna em primeira pessoa, e devo dizer que esse é,sem dúvidas o maior acerto do autor na obra. É genial acompanhar todo enredo pelo ponto de vista da única personagem da história não confiável. Tudo o que ela fala, faz e age é colocada à prova pela sua forma de vida. Não é somente a sua doença que não a torna confiável, mas sim todo o contexto onde ela mistura remédios fortes com bebida... Muita bebida! Nós como leitores ficamos totalmente perdidos e divididos entre acreditar no que ela fala, vê e sente como também vemos todas as coisas que a contradizem. Parece que tudo na história foi colocado única e exclusivamente para que o leitor questione. Coisas simples podem se tornar enormes. Como por exemplo ela esquecer onde colocou as chaves, ou ela não conseguir desbloquear o celular, ou até mesmo os flashbacks que tem sobre o passado. Tudo levanta as orelhas daqueles que leem trhiller e ficam atentos a cada detalhe para desvendar o que realmente está acontecendo.






Há dois mistérios no livro, a razão pela qual ela virou agorafóbica e a veracidade daquilo que Anna vê através da janela na casa dos Russells. O primeiro pode ser um choque para aqueles que não o descobrirem antes (eu descobri e mesmo assim fiquei um tantinho chocada pela crueza dos sentimentos envolvidos). Já o segundo é algo extremamente perturbador pelo simples fato de não sabermos nada. Cheguei num ponto da história que não sabia o que era o que. Não sabia se ela viu o que viu mesmo, não sabia se estavam armando um complô contra ela. A mente dela é extremamente confusa e o autor colocou diversas situações que a colocavam numa situação de descrença. E esse é o maior ponto positivo do livro. A.J. Finn pegou diversos clichês do gênero e os transformou em únicos. Mesmo que durante a leitura descobri diversos elementos chaves, quando de fato o autor mostra é sensacional porque a explicação é que vale a pena. Ele pegou o clichê e deu um novo sentido a ele. Nada no livro está ali por acaso, tudo foi muito bem pensado para confundir e fazer o leitor pensar.






Contrariando a própria crença da história já que Anna não sai de casa, o livro trás diversos personagens secundários. Como o David, inquilino e faz tudo que mora no porão da casa dela. Também temos a família Russell, com Ethan filho do casal que se mostra um jovem doce e prestativo, como também demonstra traços de que sabe exatamente o que esta acontecendo, mas morre de medo de falar. Além de Alistair Russell que frisa que Anna é maluca e está perturbando sua família, como também os policiais envolvidos na história. Outros personagens importantes na história são Bina, fisioterapeuta e amiga de Anna. Mas os que merecem destaque mesmo são Ed e Livy. Eles conversam sempre por telefone e mesmo afastado Ed dá muitos conselhos e a orienta em momentos difíceis.






Algo que precisa ser dito é que assim como todo thriller bem construído, A mulher na janela começa de forma lenta, apresentando as peculiaridades da personagem, mostrando seu estilo de vida e sua condição. Sou uma pessoa impaciente e gosto de livros agitados e que fluem rápido, no entanto me vi completamente presa após ler cinquenta páginas e queria muito saber o que estava acontecendo. O enredo é previsível em alguns pontos, mas como disse as explicações compensam totalmente. O mais impressionante e a razão de todo frisson em torno do livro é o seu final. O autor conseguiu colocar um plot twist em cima de um plot twist. Fiquei atônita e não imaginava mesmo o final. Tudo fez sentido!






A edição física do livro dispensa elogios. A capa trás muito sobre a história, as linhas horizontais estão em alto relevo e texturada lembrando realmente a uma cortina, além disso, ele trás orelhas em ambas as capas. Internamente o livro é tão belo quanto por fora, as letras estão num tamanho perfeito com margens espaçosas e confortáveis para uma boa pegada. As folhas são amarelas e cada começo de capítulo trás a data do dia em questão e o número do capítulo. Também não encontrei nenhum erro durante a leitura.






Os direitos de A mulher na janela foram comprados para o cinema e logo veremos essa maravilha nas telas. Estou muito ansiosa e querendo saber quem serão os atores e se o filme conseguirá trazer a tona toda a genialidade que o A.J. Finn colocou no papel. Com toda certeza ele ganhou uma fã. Recomendo o livro com força, ele é sem dúvidas um dos melhores livros que li esse ano, e duvido que outro thriller despertará meu interesse como A mulher na janela despertou. O livro envolve, questiona a veracidade da personagem, as situações e ainda nós mesmo como leitores e nossa capacidade de análise e percepção. Enfim, um livrão que merece ser lido.















Stefani Almeida
Arquiteta e Urbanista
Apaixonada por livros, filmes, series
fotos e Funko Pop
21 Comentários | BLOGGER
Comentários | FACEBOOK

21 comentários:

  1. Ahhh putz grila, como quero ler esse livro. Louca de curiosidade para saber o que Anna viu e se é que ela viu mesmo. Amo thriller psicológicos e não vejo a hora de ganhar esse livro. (espero que meu marido leia esse comentário rsrs)
    Adorei as fotos, super criativas.

    Abraços.
    https://cabinedeleitura0.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Olá! Esse livro está mais que falado no mundo literário nos últimos dias. Eu como fã de thriller e suspense que sou, não vejo a hora de poder ler! Quero muito saber o que acontece nessa história! No começo da resenha, eu pensei, bom tá todo mundo falando, e comecei a perceber alguns clichês, e você diz que o autor pega os clichês e reinventa! Que isso! Pega as previsões e deixa a gente de boca aberta! E um final com plot twist em cima de plot twist! Como assim? A história da personagem parece ser intrigante, me deixou curiosa o que aconteceu com ela pra viver assim, em isolamento, e depois chega essa família que parece ser perfeita, mas que com um pouco de observação, começa a transparecer seus defeitos e segredos. Fiquei maluca! Quero ler pra ontem!
    Bjoxx - http://www.stalker-literaria.com/

    ResponderExcluir
  3. Oi!

    Esse livro está entre as minhas metas literárias do ano, porque só ouvi elogios. É realmente uma história cheia de acertos né? Eu amo plot twisti e suspense e faz tempo que não leio algo que tenha esses elementos. Adorei a sua resenha, só fiquei com mais vontade ainda de ler!

    beijos

    ResponderExcluir
  4. Vou acabar enlouquecendo antes de ler essa história! É tanta resenha maravilhosa, apaixonada, me deixando desesperada pelo livro! Já não aguento mais esperar! Estou necessitando desse livro para ontem!

    Amo trillers e se são psicológicos melhor ainda! Já sei que irei amar essa história, que ficarei pensando nela por dias e "curtindo" uma ressaca literária daquelas.kkkkkk...

    ResponderExcluir
  5. Olá!
    Eu amei esse livro. Achei bem coerente e o final super fechadinho. O fato do livro ser cheio de reviravoltas e nos fazer questionar tanta coisa, assim como os capítulos curtinhos fizeram toda a diferença pra mim. Sem dúvidas um livro que merece adaptação cinematográfica.
    Beijos!

    Camila de Moraes

    ResponderExcluir
  6. Olá!
    Ainda não li este livro, mas estou louca para ler. Li tantas resenhas positivas que estou quase parando tudo agora mesmo para ler. Só não li ainda porque não tenho físico.
    Adorei a sua resenha!
    Beijos

    ResponderExcluir
  7. Oie, tudo bom?
    Gente, o hype tá grande por esse livro hein!
    Eu quero MUITO ler, pois não imaginei quando li as outras resenhas que você ia sabendo as coisas de maneira meio turva, por conta das bebidas e remédios. Adoro quando a obra chega nesse tipo de interação! Adorei seu post!

    ResponderExcluir
  8. Eu tenho visto tanta resenha sobre esse livro, e todas falando tão bem, que preciso ler logo. Eu adoro thrillers, mas a premissa desse me deixou ainda mais curiosa para conferir. Estou empolgada pela leitura, e olha que não tenho nem o livro na estante ainda, rs. Sua resenha ficou ótima!
    beijos
    www.apenasumvicio.com

    ResponderExcluir
  9. Estou curiosíssima para ler o livro porque são tantos elogios à originalidade da trama eu ao suspense que envolve o enredo que não dá pra ignorar o fato que todo mundo gostou da leitura. Quero fazer parte deste time tb.
    Beijos

    ResponderExcluir
  10. Olá Stefani!!!
    Todos que estão lendo esse livro estão dizendo a mesma coisa que você de não poder falar muita coisa, pois pode ser um spoiler que estrague a leitura do leitor.
    Eu ainda estou com um pé atrás sobre esse livro, mas admito que você é a primeira pessoa a me deixar balanceada em lê-lo u.U
    Mas não sei se o enredo me prenderia como está pretendo a todos, pois sou meio chata para obras desse tipo. Ou elas são 8 ou 80 para mim u.u
    Porém, você foi a primeira a dizer sobre que a algo na doença dela e para ela está do jeito que está então isso já foi um pontinho pra mim.
    Parabéns pela resenha!!!

    lereliterario.blogspot.com

    ResponderExcluir
  11. Esse livro está com uma super propaganda em cima e estão todos adorando!
    Pretendo em breve ler também.
    Vai para minha listinha com certeza!
    Adorei a resenha!


    Beijinhos!

    #Ana Souza
    https://literakaos.wordpress.com

    ResponderExcluir
  12. Eu adorei o livro, realmente fazer uma resenha dele é difícil, eu tô rascunhando a minha há três dias! hahahaha
    Eu adoro personagens questionáveis, eu duvidava dela o tempo todo! E aquela reviravolta??? Eu fiquei boquiaberta! hahahaha

    Beijos
    - Tami
    http://www.meuepilogo.com

    ResponderExcluir
  13. Stef! Acabei esse livro ontem, e o achei super eletrizante e empolgante. Adorei essa narrativa pelo ponto da anna, assim como você, porque realmente, a gente pensa se dá para acreditar nela, quando nem ela mesma acredita...

    ResponderExcluir
  14. Oie!
    Nossa! É difícil pegar um triller que te faca querer ler logo seja para acabar coma agonia da resenha seja para ficar mais agoniado ainda com o que ler. Meu Deus! Me deixou na maior dúvida se leio ou não o livro, mas tenho certeza de que a curiosidade vai bater e eu o lerei. Dida para saber qual é esse plot twister no final.
    Dica anotada!
    Bjks

    ResponderExcluir
  15. Oiee ^^
    Que fotos incríveis! Eu também adorei esse livro. Ao mesmo tempo em que fico agoniada em não saber se o que os personagens viram ou ouviram é real, eu também fico eletrizada...haha' isso aconteceu com "A mulher na cabine 10" e "A garota no trem" - talvez eu tenha ficado com vontade de ler "A mulher na janela" por causa dos títulos parecidos...haha' - gostei muito da maneira como a história foi escrita, e que final, hein?
    MilkMilks ♥
    http://shakedepalavras.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  16. Primeiro gostaria de dizer que amei seu blog, ele é maravilhoso.
    Já é a segunda resenha que vejo desse livro hoje e estou cada vez mais ansiosa para lê-lo. Amei sua resenha.
    Uma amiga havia me dito que o fim dele é muito inesperado, totalmente diferente do que você imagina que vai acontecer.
    Beijos. Versos da Alma

    ResponderExcluir
  17. Olá! Tudo bom?

    Esse livro está sendo MUITO comentado no meio literário e a minha curiosidade sobre ele já não tem mais tamanho, quero esse livro pra agora! Fico feliz em saber que não foi por acaso, adoro quando o autor tem um contexto para tudo! Alias, achei a diagramação incrível ♥

    Um beijo

    ResponderExcluir
  18. Olá!
    Esse livro tem recebido excelentes elogios, nas resenhas que li.
    De fato a história vem com certos clichês, mas o fato de o autor saber usá-los é o que realmente me chama a atenção para querer ler a obra.
    E sobre o final, claro que fiquei super curiosa!
    Bjim.
    Tammy

    ResponderExcluir
  19. Oi.

    Agora estou doida para ler este livro. Antes eu pensei que bao ficaria interessada neleb, mas agora vejo que estava errada e que eu preciso desse livro pra ontem. Ainda bem que já solicitei a editora e agora é só guardar chegar e me deliciar com a leitura.

    ResponderExcluir
  20. Eu quero muito ler esse livro, o gênero é um dos meus preferidos e a premissa dele me deixa completamente curiosa. Acho que vai ser uma ótima leitura quando eu comprar e conseguir um tempinho para ler. Eu gostei de ver a sua opinião e achei as suas fotos muito bonitas. Eu acho que vou ficar tensa a leitura toda, mas não vou querer largar o livro até terminar a leitura hahaha

    ResponderExcluir
  21. Oi Stefani tudo bem? Ainda não li esse livro, mas só escuto coisas boas dele, sobre essa doença de Anna de ficar na dúvida entre ilusão ou realidade acho que isso me chamou a atenção pois fico sempre curiosa sobre o que está por trás dos acontecimentos, vejo um enredo fantástico. Parabéns pela resenha me falou um pouco mais sobre o que esperar, vou ler espero que esse ano ainda, bjs!

    ResponderExcluir

 
© Galáxia de Ideias, VERSION: 01 - BLUE UNIVERSE - janeiro/2018. Todos os direitos reservados.
Criado por: Maidy Lacerda. Widget inspirado/base do menu por MadlyLuv
Tecnologia do Blogger.
imagem-logo