RESENHA DE A MULHER NA JANELA – POR A.J. FINN
RESENHA DE CONTAGEM REGRESSIVA – POR KEN FOLLETT
RESENHA DE UM SEDUTOR SEM CORAÇÃO – POR LISA KLEYPAS

[Resenha] Grana torpe - por Felipe Frasi

10 maio 2018

Título: Grana torpe
Autor (a): Felipe Frasi
Páginas: 114
Editora: Ler Editorial
Skoob || Goodreads
Compre: Amazon


Sinopse: Uma obra que explora a realidade de forma nua e crua.
O tema central abre caminho para um retrato das interações sociais em uma sociedade cada vez mais individualista e consumista.
Os 15 contos apresentados abordam questões polêmicas, sem pretensão de que sejam respondidas, apenas refletidas e discutidas.




Olá orbitantes.
Hoje eu venho comentar sobre um livro que me tirou da minha zona de conforto. Primeiro porque é composto por contos e eu não estou acostumada a ler contos. E segundo porque eu estava dando um tempo de livros reflexivos, por conta do estresse decorrente de estudos e trabalho, mas percebi que esse tempo estava sendo longo demais e estou tentando retomar antigos hábitos de leitura.



A sociedade global atual, consumista e capitalista de livre mercado, filha das revolução industrial, cientifica, e tecnológica, é conduzida por uma economia internacional que se lança diariamente numa corrida inesgotável pelo crescimento. E por esse crescimento desenfreado e perigoso, é que bilhões de pessoas têm suas vidas afetadas diretamente por conta do consumo desmedido, acreditando na necessidade forjada por grandes conglomerados globais de que a felicidade e o bem estar residem apenas na acepção de bens materiais, trazendo inúmeros problemas relacionamos a esse estilo de vida.

Como já mencionei, o livro é composto por 15 contos curtos, sendo que cada um é composto por 3 ou 4 páginas. Não vou conseguir fazer um resumo sobre cada um dos contos, justamente porque são curtinhos, mas posso dizer que eles tratam de diversos assuntos, como corrupção, prostituição, abuso sexual de menor, traição, etc. E que todos têm um tema em comum: dinheiro!

Beatriz estava realizada. Não que fosse interesseira ou vulgar, mas é que realmente se apaixonou pelo instinto empreendedor de Beto.
Sempre quis se casar com um homem bem sucedido e Maurício não se preocupava tanto com riqueza. Preferia uma vida mais simples e bem resolvida. Era uma característica dele e podemos respeitar isso, assim como podemos respeitar aqueles que sonham com uma vida mais próspera. 

Os contos possuem relação entre si, e já somos avisados sobre isso no início do livro. Confesso que tive medo de finalizar a leitura e não conseguir descobrir a relação entre os contos, mas o autor explica tudo no final. Apesar de ter deduzido corretamente algumas dessas relações, não consegui descobrir tudo durante a leitura, e, quando li o esclarecimento do leitor tive que voltar e reler alguns contos novamente para ver se fazia sentido. E sim, fazia!



A escrita do autor é rápida e fluída, é muito fácil nos envolvermos nos contos, e o autor “conversa” com o leitor durante a narrativa em alguns momentos, uma característica que me agrada. Essas características somadas ao tamanho do livro fazem com que a leitura seja muito rápida, algumas horas é o suficiente. Entretanto, as reflexões suscitadas e as histórias em si, ficaram na minha cabeça por muito mais tempo.

O autor aborda o tema dinheiro sobre diversos ângulos. Entretanto, uma reflexão que eu mesma faço há tempos é se vale a pena trabalhar tanto, deixando de fazer coisas que realmente gostamos, ou deixarmos sempre para depois, só para comprarmos coisas que muitas vezes não precisamos para mantermos um estilo de vida que muitas vezes não queremos ter. 

Fazia tempo, Machado fantasiava com uma vida diferente da que levava. Uma casa perto do mar, uma bicicleta, trabalhar na praia. Perguntava-se se todo o esforço dispensado para manter o padrão de vida regular era mesmo indispensável. Deveria ter outra forma menos sufocante de viver. Pensou na casa de praia. Caiu em devaneio outra vez.

Eu mesma abri mão de um caminho mais seguro, financeiramente falando, que já estava sendo trilhado, em prol de fazer algo que eu realmente gosto, de ser feliz também no trabalho, talvez obtendo menos vantagens financeiras. Até pensei em fazer o relato aqui, mas acho que esse tipo de coisa só é valorizada quando obtemos êxito. Talvez um dia eu o faça.

Agora eu preciso destacar a edição do livro, que está muito caprichada. A capa é simples e condizente com o conteúdo, mas é o miolo que me deixou encantada: ao início de cada conto temos uma ilustração, relacionada com o título do conto, não encontrei qualquer erro de revisão e as letras e espaçamentos estão num tamanhos excelente.



Recomendo a leitura para quem busca uma obra inteligente, que suscita reflexões importantes no leitor e faz pensar em diversos assuntos. Já indiquei o livro para duas pessoas próximas a mim, uma delas já leu e agradeceu muito a indicação e estou esperando a outra ler.

Espero que tenham gostado da dica.
Fiquem de olho de logo tem mais!






Barbara M. Cabalero
Advogada, concurseira e apaixonada por livros desde criança.
Meu gênero favorito é fantasia, mas sou bastante eclética,
leio quase todos os gêneros.
8 Comentários | BLOGGER
Comentários | FACEBOOK

8 comentários:

  1. Não sou acostumada a ler contos, o ultimo que li tem anos e anos, mas espero achar alguns que me interesse para ver se é um tipo de livro para colocar no meu planejamento para ler regularmente.

    Bjus** http://imagine-livros.blogspot.com.br/?m=0

    ResponderExcluir
  2. Olá! Livros de contos que ligam todos eles são bem interessante.. fiquei curiosa para saber qual é o fato que liga todos os contos haha.. Apesar de ler livros assim não são leituras que eu realmente gostei principalmente quando vem tratando de uma realidade tão dura com violência.. A resenha ficou ótima e a edição esta bem caprichada mesmo, mas não me interessei pelo livro!

    Beijos,

    ResponderExcluir
  3. Oi, tudo bem?
    Eu já vi algumas resenhas sobre esse livro e todas sempre elogiam. No entanto, eu confesso que não sou muito de ler contos e esse livro não despertou minha curiosidade. Os assuntos que são abordados no livro, apesar de importantes, já estão tão presentes no nosso cotidiano que eu ando preferindo evitá-los nas minhas leituras.
    De qualquer forma, adorei a resenha e fico feliz que tenha gostado tanto da leitura.
    Beijos!

    ResponderExcluir
  4. Não sou fã de contos, pior ainda pra mim quando são contos tão curtinhos quanto esses... O fato deles terem ligação melhora a situação pra mim, mas os temas abordados na obra não chamaram muito minha atenção, então pelo menos por enquanto não pretendo ler.

    ResponderExcluir
  5. Olá, eu também li esse livro recentemente e gostei bastante disso de o autor conversar com o leitor. Achei sensacional a forma como os contos se interligam no final.

    ResponderExcluir
  6. Contos com temas bem atuais e que infelizmente faz parte dos nossos jornais diários. Vou anotar a dica, Porque não conhecia o livro.
    Bjs Rose

    ResponderExcluir
  7. Oii! Achei muito interessante a proposta do autor em abordar esses temas através dos contos, e os trechos despertaram mais ainda a minha curiosidade de ler essa obra. A diagramação está muito bonita, irei anotar a sua dica, com certeza. Bjss!

    ResponderExcluir
  8. Oi, tudo bem?
    Não sou muito fã de contos, raramente leio. Antigamente era a minha forma favorita de leitura. E tambem faz tempo que leio indicações, deve ser por isso que esfriou essa vontade. Mas eu gostei da sua resenha, sobre abordar a realidade e sair do padrão de leitura. Adorei a dica, beijos

    ResponderExcluir

 
© Galáxia de Ideias, VERSION: 01 - BLUE UNIVERSE - janeiro/2018. Todos os direitos reservados.
Criado por: Maidy Lacerda. Widget inspirado/base do menu por MadlyLuv
Tecnologia do Blogger.
imagem-logo