RESENHA DE A MULHER NA JANELA – POR A.J. FINN
RESENHA DE CONTAGEM REGRESSIVA – POR KEN FOLLETT
RESENHA DE UM SEDUTOR SEM CORAÇÃO – POR LISA KLEYPAS

[Resenha] Hoje e sempre - por Nora Roberts

20 junho 2018

Título: Hoje e sempre
[MacGregors #5]
Autor(a): Nora Roberts
Páginas: 192
Editora: Harlequin Brasil
Skoob || Goodreads
Compre: Amazon


Sinopse: Daniel MacGregor sempre soube que construiria um império. Por isso, aos 30 anos e trabalhando para conquistar seu segundo milhão, ele decide que é a hora certa de encontrar a mulher perfeita para casar e começar uma família. As melhores candidatas são aquelas de linhagem forte, silenciosas, bonitas e que queiram ficar em casa cuidando dos futuros filhos. Anna Whitfield não se encaixa nesse perfil. Ela é a única mulher da turma de medicina e aspira ser uma ótima cirurgiã. A última coisa que Anna deseja é se casar e ter filhos, pois isso iria interferir na sua dedicação à carreira médica. Mas Daniel não vai deixá-la fugir da atração que sentem, mesmo que para isso tenha que ignorar seus instintos que imploram por um casamento e aceitar a proposta de Anna de apenas morarem juntos. Essa situação será um escândalo que apenas o amor poderá superar! Finalizando o arco da família MacGregor, Hoje e sempre vai emocionar as leitoras com uma história controversa e repleta de amor!

Daniel Macgregor é um homem influente no ramo dos negócios, cobissado por uma porção de mulheres e seu objetivo de vida é simples: construir seu império com direito a filhos e, claro, uma esposa disposta a cumprir seu papel. É em um baile que ele se vê ainda mais estimulado a realizar seu desejo, quando se depara com Anna, uma jovem de aparência delicada porém, logo ele descobriria, personalidade inflexível. A atração imediata que surge entre ambos é razão suficiente para Daniel acreditar que encontrou o que procurava. Anna, por sua vez, tem outros planos.


Ela andou em direção às portas do terraço sem olhar para trás. Mas pensou nele. Ousado, grosseiro, exibicionista e tolo.
Daniel pensou em Anna enquanto a observava misturar-se com a multidão. Fria, teimosa, desafiadora e ridícula.
Estavam ambos encantados.

Estudante do penúltimo ano da faculdade de medicina, Anna tem como prioridade o seu diploma e sua especialização em cirurgia. Ela conta com o apoio de sua melhor amiga, Mira, e dos pais, apesar de sua mãe insistir em manter a fé que um marido e um casamento a fariam desistir de tal sonho. Mas não é bem assim. Conhecer Daniel Macgregor faz nascer em Anna uma paixão visível e contra a qual ela não sabe lutar, porém, a paixão pela profissão que escolheu seguir é maior e, determinada, ela não pretende abrir mão de nada.

Apaixonar-se é como uma montanha-russa, os altos e baixos, as emoções. Estar apaixonada é como um carrossel... girando e girando enquanto a música toca. Mas permanecer amando — ela suspirou, recordando-se — é como um labirinto, Anna. Há todas as voltas e giros, e becos sem saída. Você tem de continuar indo, continuar confiando.

Daniel não quer nada menos que casamento. Para Anna, morar junto com o homem pelo qual está apaixonada basta. Ele respeita, mas não parece compreender seu sonho de ser médica ou apoiá-lo. Ela está decidida a não ceder ao coração e se entregar por inteiro a alguém que não aceite todas as partes de si. Duas pessoas de personalidades forte, dois pontos de vista extremamente diferentes. Expectativas que se divergem em relação ao futuro e uma única vontade em comum: viverem juntos.

Anna encontrou-se fitando diretamente os olhos de Daniel MacGregor. Sentiu os músculos do estômago se contraírem. Nervos? Ridículo. Sentiu um arrepio percorrendo-lhe a coluna de cima a baixo. Medo? Absurdo.
Apesar de ainda estar dançando com Cathleen, ele olhou para Anna. Olhou-a de um jeito que faria qualquer mulher enrubescer. Anna o encarou de volta friamente, enquanto seu coração disparava. Talvez tivesse sido um erro. Ele pareceu tomar seu olhar como um desafio e sorriu muito vagarosamente.
Com uma admiração objetiva, ela o observou agir. Olhando para um outro homem no canto da pista, Daniel lhe fez um sinal rápido e quase imperceptível. Em pouco tempo, Cathleen encontrou-se dançando nos braços de um outro homem. Anna preparou-se para o próximo passo.
Com a destreza de um homem experiente, Daniel circulou entre os dançarinos. Tinha notado Anna no momento em que ela começara a dançar. Notado, observado e, então, avaliado. Assim que ela o fitou daquela maneira fria e analítica, ele foi fisgado.

Hoje e sempre é o quinto livro da série Macgregors, entretanto, eu li apenas ele até agora e isso não foi problema algum, creio não ter pego spoilers graves dos livros anteriores e pude compreender a história perfeitamente. A narrativa é feita em primeira pessoa, alternadamente entre os protagonistas.





Como todos os livros da Nora, na minha opinião, esse é mais um romance delicioso e do tipo clichê mesmo, cujo final a gente já imagina e tudo, mas que envolve a gente em cada página. Tem alfinetadas, cenas quentes, união em amizades, carinho em família e muito amor, de todas as formas. É uma leitura leve e fluída, sem grandes impactos mas jamais entediante, capaz de arrancar lágrimas e gargalhadas, típica de fim de tarde e digna de um pote de sorvete para acompanhar.

Em relação aos personagens, confesso que eu tive um certo problema com Daniel durante a maior parte da história. Apesar de atraente e todo cheio de atitude, ele me soou um tanto arrogante às vezes, como se apenas as vontades dele importassem, sem muita abertura para considerar outros pontos de vista e ideias. Anna, por outro lado e apesar de apaixonada, consegue ser bastante firme em suas decisões e se impor da mesma maneira que Daniel, o que dá um equilíbrio legal à história. Particularmente eu tive grande admiração por ela e por Mira, sua amiga, uma garota maluquinha que fala e faz o que pensa e tem um jeito peculiar e cativante de ser.

É um livro que nos faz refletir muito sobre como as vontades das mulheres eram vistas antigamente já que, no caso de Anna, por exemplo, o que hoje é tido como uma especialização comum para qualquer pessoa, a cirurgia, há poucas décadas não era tão comum assim. Nos leva a pensar sobre nossos sonhos e prioridades e como nos posicionamos diante deles.

Eu recomendo hoje e sempre a qualquer fã de romances que, apesar de previsíveis, apaixonam e cativam a gente de montão.






Isabela Rocha
Estudante de jornalismo. Apaixonada incorrigível pelas palavras.
Aventuro-me por todos os gêneros,
desde romances água com açúcar, até os temíveis terror / suspense.
0 Comentários | BLOGGER
Comentários | FACEBOOK

0 comentários:

Postar um comentário

 
© Galáxia de Ideias, VERSION: 01 - BLUE UNIVERSE - janeiro/2018. Todos os direitos reservados.
Criado por: Maidy Lacerda. Widget inspirado/base do menu por MadlyLuv
Tecnologia do Blogger.
imagem-logo