RESENHA DE A MULHER NA JANELA – POR A.J. FINN
RESENHA DE CONTAGEM REGRESSIVA – POR KEN FOLLETT
RESENHA DE UM SEDUTOR SEM CORAÇÃO – POR LISA KLEYPAS

[Resenha] Os segredos dos olhos de lady Clare – por Carol Townend

07 junho 2018
Título: Os Segredos dos Olhos de Lady Clare [Cavaleiros de Champagne #2]
Autor (a): Carol Townend
Páginas: 256
Editora: Harlequin Brasil
Skoob || Goodreads
Compre: Amazon


Sinopse: Enquanto investiga a causa do aumento de bandidos em Troyes, sir Arthur Ferrer encontra a misteriosa Clare, uma possível filha ilegítima do conde de Fontaine, da Bretanha. Ele então percebe que ela pode ser a chave para a sua própria salvação. A honra exige que Arthur a leve até o pai para que possa ser reconhecida, mas o desejo prefere que ela fique em seus braços.
Será possível conciliar honra e desejo?
A autora Carol Townend mais uma vez convida as leitoras para uma viagem inesquecível de volta a condados, cortes e reinos e às incríveis histórias de amor entre nobres da (nem tão) alta sociedade da época.

Clare fugia de seu passado quando fora encontrada por Sir Geoffrey na beira de uma estrada, maltrapilha e com fome. Sir Geoffrey, um cavaleiro, a acolheu e em troca pediu apenas que ela ajudasse a cuidar de Nicola, sua mãe, que estava doente. Clare aceitou com prazer a tarefa e se afeiçoou muito à Nicola e à Nell, uma garotinha, irmã mais nova de Geoffrey. Clare estava feliz e sentia-se parte de uma família pela primeira vez na vida. 

Quando algo inesperado acontece e Geoffrey é morto, Clare promete cuidar de Nicola e Nell. No entanto, o passado de Clare está mais próximo do que ela imaginava e não lhe resta alternativa senão fugir, deixando para trás a única família que já conheceu.

Sir Arthur Ferrer, capitão dos Cavaleiros Guardiões do conde Henry, nunca tinha visto aquela moça que acompanhava Nell, a irmã mais nova do falecido Sir Geoffrey, mas algo nos olhos dela lhe parecia extremamente familiar. Ficara com aqueles olhos incomuns (um verde e o outro acinzentado) na cabeça durante dias, até se dar conta de que eram iguais aos do conde Myrrdin de Fontaine. Será que ela seria filha ilegítima do conde de Fontaine?

Quando Arthur a procura para especular sobre o assunto, descobre que Clare havia fugido. Ao informar o ocorrido ao conde Henry, seu suserano, este envia Arthur atrás de Clare e ordena que ele a escolte até o conde Myrrdin, na Bretanha. A viagem durará semanas e Arthur não está feliz com isso, mas cumpre as ordens que recebeu e parte atrás de Clare naquela mesma tarde.





Olá Orbitantes.
Hoje venho falar de um romance medieval. Já li livros que se passam nesse período, mas nunca com foco no romance, por isso, devo admitir que demorei um pouco para me adaptar à leitura e achei o livro um tanto lento a princípio. Mas depois me acostumei e acabei me apegando bastante aos personagens e ao universo criado pela autora.

Durante anos, ela rezara pela liberdade, mas só agora compreendera que ninguém era completamente livre. A filha de um conde não era livre. Nem mesmo Arthur, que havia conseguido subir de padrão, mas ainda devia lealdade ao conde de Champagne.

Essa é literalmente a história da donzela em perigo que é salva pelo cavaleiro da armadura brilhante montado em seu cavalo branco. O Arthur encontrou a Clare em péssimas condições depois de sua fuga. Estava frio e ela não tinha roupas adequadas para o clima, não tinha comida e com certeza não tinha dinheiro. Quando Arthur contou à Clare suas suspeitas de que ela fosse filha ilegítima de um nobre, e que estava incumbido de levá-la até seu suposto pai, Clare achou aquilo um absurdo, mas ficou feliz por agora ter um destino, companhia e proteção, tudo em um pacote só.

Eu achei que a atração entre a Clare e o Arthur surgiu de forma um tanto repentina. Mas o romance em si surgiu aos poucos e de forma convincente, conforme os personagens se conheciam e começavam a confiar um no outro. 

Agora eu vou mencionar um aspecto que considero negativo, mas é compreensível se considerarmos a época em que o livro é ambientado. Estou um pouco cansada de ler livros que giram em torno de problemas que poderiam ser resolvidos com uma simples conversa, e isso acontece no decorrer de todo esse livro. Por exemplo, o Arthur pensava que, por não ter descendência nobre, e, por conseguinte, não ter propriedades, nunca poderia cortejar uma mulher ou se casar. E a Clare, por conta de traumas e segredos do passado, que ela não revelava nem mesmo ao Arthur, pensava que casamento era uma desculpa para os homens se comportarem como monstros e uma forma de escravidão.

Para Clare, o casamento era apenas um nível acima da escravidão.

Então, quando os dois começaram a desenvolver sentimentos um pelo outro, o Arthur não se achava digno da Clare e todo indício de rejeição que ele sentia por parte dela atribuía ao fato de ter descendência humilde, e acabava se afastando. Por sua vez, a Clare, pelo menos a princípio, não acreditava que aquele cavaleiro incrível e honrado poderia realmente querê-la e acabava se afastando ou rejeitando-o para se proteger. Resumindo: acabavam os dois se afastando, os dois sentindo-se rejeitados, sendo que não era nada do que estavam pensando e uma conversa seria capaz de resolver tudo entre os dois.

A experiência de Arthur se restringia apenas ao amor comprado, e era tudo o que um cavalheiro sem-terras podia arcar. Clare o levava a sonhar com um tipo diferente de amor. Se bem que ele próprio não conhecia outro tipo de amor.

E essa foi a única razão pela qual tirei uma estrelinha do livro, gostaria que os personagens tivessem conversado mais ao invés de saírem deduzindo o que o outro estava pensando. Outra coisa que quero ressaltar, é que a Clare não é aquele estereótipo da mocinha que acha o mocinho bom demais para ela ou que fica se menosprezando enquanto coloca o mocinho em um pedestal. Pelo contrário, ela mostrou uma evolução incrível no decorrer da história e é muito mais forte e determinada do que a maioria das mocinhas que tenho encontrado nos romances ambientados nos tempos atuais.

Ninguém desviava a atenção de Clare, que esticou as costas. Não é minha culpa ter origem humilde. Também não é pecado.

Como o próprio título ilustra, o enredo envolve alguns segredos. A Clare guarda dois segredos sobre seu passado, que o leitor já conhece desde o início, mas que ela não quer revelar a ninguém, por mais que confie e goste da pessoa, por medo de ser rejeitada. E o tempo todo eu ficava brigando com o livro: “Conta logo, Clare, pelo menos para o Arthur, quando mais tempo demorar, pior vai ser!” Só que ela meu ouviu? Claro que não! E o leitor também fica na expectativa para saber se o conde Myrrdin é realmente o pai da Clare e, se for, como irá recebê-la. E se não for, para onde Clare irá? Isso prendeu bastante minha atenção.

Quanto aos personagens secundários, eu me afeiçoei muito a uma personagem que ficou sem desfecho nesse livro, por isso pensei que poderia ser um gancho para uma continuação e fui pesquisar. Eis o que descobri: Os segredos dos olhos de Clare é o segundo livro de uma série chamada Cavaleiros de Champagne, composta por quatro livros, que já foi integralmente publicada pela editora Harlequin, mas está sendo republicada agora. Então, o primeiro livro da série, O campeão de lady Isobel (encontre aqui), foi republicado esse ano (2018) e creio que os outros dois deverão ser republicados em breve.

Agora, para minha surpresa, a personagem que chamou minha atenção não é protagonista de nenhum dos livros dessa série. Então pesquisei pelo nome da autora e encontrei um livro que foi publicado pela editora Harlequim ano passado (2017) e que traz essa personagem como protagonista (Aeeeeeeee!!!!!!!). Sendo que o nome do livro é Cartas para uma falsa dama (encontre aqui), que pretendo ler e trazer resenha em breve.

Assim, quem quiser ler como série, sugiro que leia nessa ordem:

Lembrando que as histórias são independentes e os livros não precisam ser lidos como uma série, eu só procurei saber mais porque realmente gostei da personagem e queria que ela tivesse um final feliz, mas talvez ela nem chame a atenção de outras pessoas. 

O livro é narrado em terceira pessoa, ora através do ponto de vista da Clare, ora através do ponto de vista do Arthur. A narrativa é fluida e a autora fez um bom trabalho na construção dos personagens, e como ela estudou história, creio que as descrições dos ambientes, costumes e roupagens sejam razoavelmente fiéis à realidade da época. Gostei muito também do carinho que a editora teve ao republicar esse livro, a capa está muito mais bonita e elegante que a original e o cuidado com o miolo também é claro, não encontrei erros de revisão.

Enfim, é um ótimo livro, dentro do que a autora se propôs a escrever. E eu indico para quem busca uma leitura despretensiosa, leve e gostosa, literalmente a história da donzela em perigo que é salva pelo cavaleiro na armadura brilhante. Mas nem por isso a mocinha é boba e inexpressiva, pelo contrário...

Espero que tenham gostado da dica.
Fiquem de olho que logo tem mais!






Barbara M. Cabalero
Advogada, concurseira e apaixonada por livros desde criança.
Meu gênero favorito é fantasia, mas sou bastante eclética,
leio quase todos os gêneros.
13 Comentários | BLOGGER
Comentários | FACEBOOK

13 comentários:

  1. Oi! Já tinha visto esse livro por aí, mas não imaginei que seria uma leitura tão agradável! Amo romances de época, e tomar conhecimento de um tão bem escrito, é sempre bom. Adorei saber que a ambientação é boa, porque realmente ajuda a leitura, fica fácil imaginar os lugares e paisagens. Gostei também das críticas sociais que a autora incluiu na história, é mesmo raro um romance de época abordar diretamente esse assunto. E os personagens que parecem ser maravilhosos, bem construídos e complementares a toda narrativa. Amei a dica!



    Bjoxx ~ www.stalker-literaria.com

    ResponderExcluir
  2. Eu nunca rinha visto antes , mas amo romances e sou suspeita pra falar . Agora, romances medievais, de época eu amo demais.
    Gostei bastante de sua resenha,parabens
    Acho muito legal quando as personagens são fortes, mesmo em tempos passados voce vê a garra!
    Parece ser um livro interessante.
    um beijo

    www.chuvanojardim.com.br

    ResponderExcluir
  3. Já me deparei com o livro antes, mas nenhuma outra resenha foi tão completa e tão instigante ao mesmo tempo.
    Por isso, é a primeira vez que esse livro despertou meu interesse.
    Parabéns pela escrita! Sua resenha está ótima!
    Valeu pela dica!

    Eliziane Dias

    ResponderExcluir
  4. Oi tudo bem? Não li o livro, mas já li várias resenhas em relação a ele. Achei o enredo muito legal, adorei saber sua opinião e sua sinceridade sobre a leitura, parabéns pela Resenha maravilhosa, obrigado pela dica. Bjs!

    ResponderExcluir
  5. Oi, tudo bem?
    Já me deparei com algumas resenhas sobre esse livro, a sua está muito bem escrita e completa, parabéns! apesar de nunca ter lido nenhum romance de época, esse livro me deixou interessada hahaha
    A história parece ser muito boa!
    Obrigada pela dica!
    Beijos - anne and cia

    Www.anneandcia.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  6. Eu adoro romances mais históricos mas esse realmente é um problema bastante comum, esses grandes problemas que poderiam facilmente ser resolvidos, é como se a autora torna-se algo tao pequeno no grande clímax da história, ne? Ainda assim considero uma leitura bastante válida.

    ResponderExcluir
  7. Oiii,

    Eu tenho muita curiosidade de conferir este livro, primeiro por causa da heterocromia, e entender quais são os segredos por trás de tudo isto. Admito que eu tenho um pouco de preguiça dessa situação de “não sei pq ele me quer” ou “eu não sou digno dela”, mas ainda assim eu quero conhecer a obra e descobrir qual é o segredo kkkk.

    Beijinhos...
    http://www.paraisoliterario.com

    ResponderExcluir
  8. Oiii tudo bem??

    Você descreveu 3 coisas que me fazem odiar um livro, tempo medieval, donzela em perigo e romance repentino. Meu Deus eu não vou gostar kkkk
    Mas adorei conhecer a história e fico feliz que tenha gostado.
    Bjus Rafa

    ResponderExcluir
  9. oiii, tudo bem?
    parabéns pela resenha.
    o que está acontecendo no mundo? onde passo só vejo romances de época kkkkk.
    então eu não curto muito esse tipo de romance, irei passar a dica, mas sua resenha é ótima.

    abraços.

    ResponderExcluir
  10. Todos estão elogiando esse livro e lógico já adicionei a minha lista de leitura.
    Amei conferir suas impressões e achei interessante vc ter gostado muito a personagem do livro 'Cartas para uma falsa dama' (esse foi o primeiro livro que conheci dessa série). Preciso desses livros 💞💞💞💞

    ResponderExcluir
  11. Oi, confesso que eu achei bem interessante a trama, principalmente porque eu também nunca tinha visto algo nesse estilo com romance e fiquei curiosa. Mas o fato de ser mais lento me deixou meio assim, porque eu perco o interesse fácil quando a história não me cativa e fiquei receosa. Mas como a louca por romance que eu sou, eu definitivamente devo tentar conferir mais, mas fiquei triste dela ter que estar sempre fugindo de seu passado (passado esse que eu fiquei bem curiosa também, admito haha). Vamos ver, parabéns pela resenha! <3
    Um super beijo
    www.brookebells.com

    ResponderExcluir
  12. Olá, leio poucos romances ambientados na época medieval e até estava com receio de ler esse, pela sua resenha ótima já fiquei mais interessada em conhecer mais dos personagens, bom saber que há essa evolução na mocinha.

    ResponderExcluir
  13. Olá!
    Tenho gostado cada vez mais desse tipo de romance medieval. Gostei da premissa e saber que a trama cumpre o que propõe. São tantas dicas que a gente fica perdido com o que começar, mas pretendo ler ainda esse ano. Adorei o desenrolar da trama e suas impressões aguçaram minha curiosidade.
    Beijos!

    Camila de Moraes

    ResponderExcluir

 
© Galáxia de Ideias, VERSION: 01 - BLUE UNIVERSE - janeiro/2018. Todos os direitos reservados.
Criado por: Maidy Lacerda. Widget inspirado/base do menu por MadlyLuv
Tecnologia do Blogger.
imagem-logo