RESENHA DE A MULHER NA JANELA – POR A.J. FINN
RESENHA DE CONTAGEM REGRESSIVA – POR KEN FOLLETT
RESENHA DE UM SEDUTOR SEM CORAÇÃO – POR LISA KLEYPAS

[Resenha] Sol em Júpiter - por Lola Salgado

08 junho 2018

Título: Sol em Júpiter
Autor(a): Lola Salgado
Páginas: 256
Editora: Harlequin Brasil
Skoob || Goodreads
Compre: Amazon

Sinopse: Sol Leão é uma famosa youtuber de Florianópolis. Apaixonada pela sua “juba”, que dá nome ao canal, a jovem mostra ao mundo seu estilo e sua vida perfeita em vídeos divertidos e calorosos. No entanto, a vida real pode ser um pouco diferente disso, e um jovem com o estranho nome de Júpiter aparece para balançar o mundo de Sol e questionar as certezas que ela achava que tinha.


 "Só que eu amava! Era viciada na rotina frenética de sempre ter a agenda apertada e, na maioria das vezes, correr contra o tempo para conseguir dar conta de tudo. E mesmo os momentos desesperadores em que eu parecia prestes a fracassar eram bem-vindos — apenas pela onda de prazer incomparável que me tomava depois de superada alguma dificuldade. Um sentimento de ser útil, sabe? Se precisasse escolher a minha favorita entre qualquer coisa no mundo, sem sombra de dúvidas, eu escolheria aquela calmaria deliciosa, com direito a quentinho no coração e tudo mais, de ser bem-sucedida em alguma tarefa."

Aos vinte e três anos de idade, Sol Leão estava no auge de sua vida, com satisfação plena em todos os campos desta: era uma youtuber de sucesso, algo que surgiu de forma inesperada após a sua adolescência conturbada e cheia de solidão e buling, e acabou substituindo uma  vida de timidez e solidão por uma profissão que a deixava feliz, à medida que ela podia receber o amor intenso de seus fãs, e com isso também ajudava outras pessoas que se sentiam como ela um dia se sentira; também, na vida amorosa Sol tinha tudo, ou quase tudo que queria, com André, seu noivo, um cara bastante desligado quando se tratava dos compromissos da namorada mas que a fazia intensamente feliz e com quem ela logo iria se casar.

No entanto, certa sexta-feira na qual Sol tinha o evento de uma patrocinadora do canal para ir, o seu inferno astral pareceu chegar com força total: em primeiro lugar ela chegou atrasada após passar na casa da mãe para visitá-la,  e quando estava chegando ao shopping Sol se deu conta de que estava de chinelo, e então entrou no banheiro para que ninguém a visse, pois uma de suas características era sempre ser vista com os saltos mais lindos, e, para finalizar, sua entrada triunfal e desesperada no banheiro foi no sanitário masculino, e até aí estaria tudo bem, caso ela não tivesse descoberto onde exatamente estava ao avistar pelo espelho um rapaz com suas partes íntimas a vista.

"Em vez disso, tive a brilhante ideia de fazer um apelo, dizendo quanto não me importava com a opinião de ninguém, sem pensar em quanto isso apenas provava para as pessoas o oposto. Era quase o mesmo que dizer para todos que tentavam me atingir que eles estavam exatamente no caminho certo. Eu estava me importando, e muito.
E os erros só estavam aumentando…
Só que eu não tinha sangue de barata, droga. Era muito difícil me manter impassível quando existia uma quantidade absurda de bosta a meu respeito lotando meus perfis, nos quais costumava haver apenas muito amor. Por que as pessoas se apegavam a coisas tão minúsculas? E por que logo comigo? Inferno, tinha tanta gente no YouTube… Já não bastava o bullying na infância, agora eu precisava lidar com aquilo?
O pior era que o assunto não ficava só nos sapatos. O último comentário que li, por exemplo, mal citava esse detalhe."

Após sair correndo do banheiro chocada e envergonhada, Sol encontra uma funcionária do shoping que aceita ir até uma loja comprar um salto para que a garota vá ao evento. Porém, o que ela não imaginava era que o sapato seria o mais horrível do mundo, o que suscitaria infinitos comentários maldosos em suas redes sociais por dias a fio, o que a fez esquecer completamente o vexame do banheiro.

No entanto, após poucos dias o pior pesadelo acontece e Sol se depara com o jovem do banheiro, mais uma vez em uma situação inusitada. É dessa forma que com uma ajudinha do destino Sol estabelece contato com o tal garoto e descobre que ele é Júpiter, alguém bastante diferente dela, mas que ao mesmo tempo traz para a sua vida uma leveza que há muito a famosa youtuber não encontrava.

"A expectativa corria pelas minhas veias. Aquele dia se desenrolava de maneira tão inédita, tão única… Por que estar com Júpiter era sempre tão fácil? Por que eu me sentia tão bem perto dele? Droga, por que a porcaria dos meus pensamentos ficava tão perigosa nessas ocasiões?"

Depois de várias coincidências que os leva a encontros inevitáveis, Sol e Júpiter descobrem mais um sobre o outro, e quando a vida faz com que Sol questione suas escolhas, seus caminhos e todas as suas certezas, Júpiter está ao seu lado mostrando-lhe sua força e o carinho que ele nutre por ela, ao mesmo tempo que uma grande amizade carregada de intensos sentimentos se constrói e ameaça abalar as estruturas de ambos...

Com uma narrativa que nos leva aos risos e ao afeto, Lola Salgado construiu uma trama linda, que faz com que nos identifiquemos com os dilemas dos personagens e nos oferece uma história rica em detalhes, inteligente e marcante.

"Então, parafraseando nosso querido Tyrion Lannister: “Nunca esqueça o que você é. O resto do mundo nunca se esquecerá. Use como uma armadura e isso nunca poderá ser usado para machucar você”."





Há algum tempo passei a acompanhar a autora Lola Salgado em suas redes sociais, mas não havia tido nenhum contato mais próximo com suas obras até então lançadas. Porém, quando vi a divulgação de Sol em Júpiter, seu mais recente lançamento, de imediato me senti atraída pelo enredo e bastante empolgada para lê-lo, e logo tive a oportunidade de ter o livro. Assim que o recebi, logo comecei a leitura e já fui conquistada nas primeiras páginas com a escrita fluída e cativante que a autora nos apresenta, com acontecimentos que se interligam e vão nos deixando curiosos para o que vem a seguir, tanto que tive certa dificuldade em dar pausas na leitura para fazer as outras coisas da vida.

Dentre os fatores que me fizeram adorar essa história, está a criação de Sol, ou também chamada de Juba, devido ao seu cabelo cacheado que é uma de suas marcas registradas no youtube. Sol é uma mulher que é muito gente como a gente, e ela ri, chora, se emociona, é meio maluca e faz besteiras, o que faz com que em algum momento os leitores se identifiquem com ela. Além disso, é maravilhoso poder acompanhar de perto a profissão de Sol como youtuber, e senti que Lola representou muito, por meio da Sol, todos os produtores de conteúdo que estão aí, tanto os youtubers e por extensão também os blogueiros e outros, e mostrou o imenso trabalho por traz da produção de um bom conteúdo, a dedicação intensa, e também transmitiu muito bem como ocorrem os diversos comentários e críticas, que muitas vezes vem abalar quem produziu o conteúdo, e embora se saiba que todos tem o direito de pensar o que quiser, mas por meio de Sol e de seu canal podemos encontrar pessoas que fazem isso de forma muito maldosa, com o simples intuito de atingir e ferir aquele que expôs seu conteúdo e por extensão sua vida.

Além disso, ainda falando dessa vib youtube que há no livro, Lola teve o cuidado de não só falar que Sol fazia vídeos, mas também nos mostrou com detalhes como era cada um deles, inserindo os roteiros dos vídeos, o que me fez sentir como se estivesse em uma sessão de audiodescrição. Além disso, encontramos pequenas lições, através do que Sol passa para seus fãs, sobre bulling, sobre amarmos a nós mesmos e sobre o que é importante na vida, bem como acabei refletindo muito sobre relacionamentos, sobre aquilo que aceitamos de nossos parceiros e sobre as coisas das quais muitas vezes abrimos mão sem que isso valha a pena.

Outro ponto que muito mexeu comigo durante a leitura de Sol em Júpiter, foi conhecer a história de Júpiter, que embora tenha sido uma história secundária, foi marcante e é perceptível que ele é um jovem batalhador e muito maduro diante de tudo o que passou, inclusive, não seria nada mal se houvesse um livro a respeito da história de um dos irmãos do garoto, que são maravilhosos. Acrescento ainda que adorei o fato de o livro se passar em Florianópolis, capital do estado onde moro e lugar que conheço e gosto muito, e apesar de não trazer tantas descrições do local, fiquei encantada quando elas apareceram e imaginei com mais perfeição os personagens presentes nos lugares.

Não encontro nada de negativo a ser destacado, apenas vale dizer que é um livro leve e juvenil e para os leitores que não apreciam intensamente esse tipo de livro, pode não ser uma leitura tão prazerosa.

Sol é uma personagem daquelas marcantes, toda atrapalhada e ela protagoniza muitas cenas que me arrancaram risadas. Adorei como a personagem foi construída, e fiquei com sentimento de "eu assistiria essa youtuber com toda certeza". Já Júpiter, como mencionei, é um jovem muito responsável, daqueles que dá um orgulho imenso quando encontramos, e é extremamente dedicado a família, algo que adoro encontrar nos personagens. Júpiter tem um estilo de vida e valores muito admiráveis, e fiquei querendo mais dele. Já no outro lado da moeda, como pior personagem do século temos André, o namorado de Sol que me irritou muito e eu fiquei querendo entrar no livro a cada três minutos para dar uns bons tapas nele.

Sol em júpiter é dividido em quinze capítulos mais prólogo, e é narrado em primeira pessoa, na maior parte por Sol, embora haja também alguns trechos com narração feita por Júpiter.

A autora Lola Salgado atualmente publica pela Harlequin Brasil e Sol em Júpiter foi seu primeiro trabalho nessa casa editorial. A autora começou suas publicações no wattpad, onde ganhou o prêmio internacional Wattys com um de seus livros, e posteriormente passou a publicar na Amazon, onde já tem mais de dez milhões de leituras. Seus outros títulos são: Tentador, escrito com Ruby Lace, A Linguagem do amor e também a série Leis da atração, que é composta pelos livros O advogado e O acusado, bem como o conto As pequenas coisas que é um conto de A linguagem do amor.

Recomendo Sol em Júpiter para todos os leitores que procuram um livro leve, divertido, romântico e gostoso, com uma das autoras destaque do cenário nacional da atualidade que certamente merece todo o reconhecimento que recebe, pois é incrível no que apresenta ao seu público.






Tamara Padilha
Leitora compulsiva com foco em quase todos os gêneros
(exceto os romances de época e ficção científica).
Apaixonada por escrita, e em breve bacharel em direito.
0 Comentários | BLOGGER
Comentários | FACEBOOK

0 comentários:

Postar um comentário

 
© Galáxia de Ideias, VERSION: 01 - BLUE UNIVERSE - janeiro/2018. Todos os direitos reservados.
Criado por: Maidy Lacerda. Widget inspirado/base do menu por MadlyLuv
Tecnologia do Blogger.
imagem-logo