RESENHA DE A MULHER NA JANELA – POR A.J. FINN
RESENHA DE CONTAGEM REGRESSIVA – POR KEN FOLLETT
RESENHA DE UM SEDUTOR SEM CORAÇÃO – POR LISA KLEYPAS

[Claquete] Belgrano (2010)

28 agosto 2018


Sinopse: Os últimos oito anos da vida do prócer argentino Manuel Belgrano são relatados em uma alternância entre o presente em 1820, quando Belgrano já está moribundo em razão de sua saúde debilitada e o passado, quando passou de advogado a general, tendo sido vitorioso nas batalhas de Tucumán e Salta, além de ter criado a bandeira argentina.

Título: Belgrano
Título Original: Belgrano, la pelicula
Lançamento: 2010
Duração: 1h21min
Diretor(a): Sebastián Pivotto
Gênero: Drama Histórico.
 

Manuel Belgrano já teve seus dias de glória, mas em 1820 já não é mais o "general acidental" que venceu as batalhas de Salta e Tucumán nos inícios de 1810, impedindo, com seu sucesso, que as tropas realistas espanholas descessem até Buenos Aires.

Afetado por anos de uma saúde fraca e acometida por inúmeros problemas hoje facilmente curáveis ou detectáveis, ele está à beira da morte física, mas antes disso, padece de uma grande decepção misturada a desilusão e outros sentimentos igualmente negativos em relação ao rumo que as coisas tomaram anos depois, quando a Independência Argentina foi enfim declarada em 1816.






Em 2010, foi a comemoração do Bicentenário da Revolução de Maio, que marcou o começo do processo de independência da Argentina, proclamada em 09 de julho de 1816. Por conta dessa comemoração, pelo menos dois filmes foram produzidos em uma parceria entre a INCAA e a TV Pública Argentina, um deles sendo o que vou comentar nesse texto. O outro, Revolución, el cruce de los Andes, fica para uma outra oportunidade.



Belgrano, ou como ficou em espanhol, Belgrano, la pelicula, apesar de ter um produto final muito bom no geral, carece de uma duração mais longa e um melhor desenvolvimento de algumas situações, motivo pelo qual dei quatro claquetes. Considerando, porém, a sinopse, é compreensível apesar de tudo. Mas eu destaco isso porque acredito que esse filme daria uma fantástica série, na televisão argentina ou até no Netflix. #NUNCATEPEDINADANETFLIX


Primeiro, eles não explicam o exato motivo de Belgrano estar na situação que está em 1812, o que pode confundir muito a cabeça de quem não conhece a fundo a história tal como aconteceu, o que é o meu caso, já que eu tenho grande fascínio por próceres faz um tempo. O filme mostra diretamente o depois da Batalha de Tucumán e pela conversa entre os personagens, durante um baile, é que temos uma ideia, ainda que não muito desenvolvida, sobre o que levou a tudo aquilo. A hipocrisia de alguns personagens ali é de deixar um gosto amargo na boca. Sem contar as muitas idas e vindas no tempo que dão uma quebrada no ritmo, assim como a sucessão de fatos muito ligeira que deixa o espectador sem tempo real para absorver tudo. Além da trilha sonora tensa e das cenas envolvendo real e onírico, que faz o espectador pensar que o diretor queria era fazer um filme de horror das antigas, porque os cenários nunca são menos que escuros e sombrios e a própria perspectiva da situação é profundamente pessimista.



As atuações, no geral, são muito boas, mas poderiam ser melhores ainda se, como eu já disse antes, o filme tivesse pelo menos o dobro de duração ou até mesmo tivesse sido feito em formato de série, o que, acredito, iria contribuir para criar um produto final melhor ainda. Nenhuma das interpretações fica acima da outra, todos contribuem igualmente para fazer o filme crível com os fatos reais embora haja uma inversão que não atrapalha em nada o filme. Mas para quem gosta de História, isso pode não soar como a melhor escolha, mas isso não atrapalha em nada o andamento do filme, que pelo menos para a vos escreve, é uma ótima pedida para quem ama fatos reais.

Se eu recomendo Belgrano? Para quem gosta de filmes baseados em fatos reais e que incitem a curiosidade para conhecer mais os vultos históricos além do bronze (ou outros materiais de estátua) e para quem quer conhecer filmes que rodam fora do circuito tradicional.









Renata Cezimbra
Professora desempregada, leitora voraz,
escritora doida e vampiróloga amadora.
0 Comentários | BLOGGER
Comentários | FACEBOOK

0 comentários:

Postar um comentário

 
© Galáxia de Ideias, VERSION: 01 - BLUE UNIVERSE - janeiro/2018. Todos os direitos reservados.
Criado por: Maidy Lacerda. Widget inspirado/base do menu por MadlyLuv
Tecnologia do Blogger.
imagem-logo