RESENHA DE A MULHER NA JANELA – POR A.J. FINN
RESENHA DE CONTAGEM REGRESSIVA – POR KEN FOLLETT
RESENHA DE UM SEDUTOR SEM CORAÇÃO – POR LISA KLEYPAS

[Resenha] Um verão inesquecível – por Mary Balogh

13 setembro 2018
Título: Um verão inesquecível [Os Bedwyns #0.6]
Autor (a): Mary Balogh
Páginas: 316
Editora: ASA (Portugal)
Skoob || Goodreads
Compre: Amazon



Sinopse: Kit Butler é um dos mais afamados solteirões de Londres, casar é a última coisa que lhe passa pela cabeça. Mas a sua família tem outros planos. Para contrariar o casamento que o pai lhe arranjou, Kit precisa de encontrar uma noiva... e depressa. Entra em cena Miss Lauren Edgeworth. Lauren foi abandonada em pleno altar pelo seu noivo, Neville Wyatt. Destroçada, decide que não voltará a passar pelo mesmo: nunca casará. O encontro entre estas duas forças da natureza é tão intenso como uma tempestade de verão... e ambos engendram um plano secreto. Lauren concorda alinhar na farsa em troca de um verão recheado de paixão e aventura. No final, ela romperá o noivado - o que afastará possíveis pretendentes - deixando-os a ambos livres. Tudo corre na perfeição, até que Kit faz o impensável: apaixona-se por Lauren. E um verão já não é suficiente para ele. Mas o tempo não para e Kit sabe que terá de apelar a mais do que as suas vulgares armas de sedução para conseguir convencer Lauren a entregar-lhe o seu coração... na alegria e na tristeza, na saúde e na doença, para o resto das suas vidas.

Resenhas anteriores:

Os Bedwyns #0.5: Uma noite de amor

Depois de ser abandonada no altar, um ano antes, Lauren está cansada: cansada de receber olhares de pena, cansada dos parentes encontrando pretendentes por ela na tentativa de ajudá-la, cansada de saber que nunca será uma mulher tão interessante quanto a atual esposa do seu ex noivo, e, mais: está cansada de saber que nunca mais se colocará em uma situação em que possa ter o coração partido daquela forma novamente... Tudo que ela quer é firmar residência em Bath e viver em paz como uma solteirona para o resto da vida. Mas como fazer com que os parentes entendam e aceitem isso? Para surpresa da Lauren, a resposta aparece na forma do libertino com a pior reputação de Londres: Kit Butler. 

Lauren estranha o fato de kit continuar tentando cortejá-la mesmo depois de toda sua frieza e demonstração de desdém pela fama que o homem carrega. Será que ele a considera tão burra a ponto de achar que ela acreditaria naqueles gracejos e falsos elogios? Pois bem, ele iria cair do cavalo.

Até que, depois de várias tentativas frustradas de corte, Kit decide ser honesto com Lauren. 

Kit estava na guerra quando recebeu uma carta de seu pai informando que Jerome, seu irmão mais velho, havia falecido e que ele agora era o herdeiro do título e deveria voltar para casa para assumir suas responsabilidades. Uma grande reviravolta para quem fora expulso de casa no ano anterior e não tivera contato algum com a família desde então. Assim, Kit vendera sua patente no exército e voltara para a Inglaterra, mas não para casa. Estava em Londres há um ano, chocando a alta sociedade com seu desrespeito às regras de convivência sociais e sua libertinagem. 

Eis que Kit recebe outra carta de seu pai, dessa vez informando que ele deveria voltar para casa para o aniversário da avó, que aconteceria nos próximos meses, e que deveria aproveitar a ocasião para formalizar seu noivado com Freyja Bedwyn. Então o pai o expulsara de casa, ficara mais de um ano sem se comunicar com ele e agora queria planejar como seria sua vida? Kit não deixaria isso acontecer. Então teve a brilhante ideia de encontrar uma noiva perfeitamente adequada, uma dama e totalmente insípida, da qual seu pai não pudesse reclamar e voltar para casa com ela. Mas quem?

Os amigos e companheiros de libertinagem do Kit apontaram Lauren Edgeworth como a mais perfeita dama, mas alertaram que ele era fria como o Ártico e afastava qualquer pretendente que ousasse se aproximar. Kit entendeu isso como um desafio e apostou com os amigos que estaria noivo de Lauren até o final do verão. 

Entretanto, conforme o verão avançava, tudo indicava que Kit deu um passo maior que a perna. Lauren era realmente muito fria, não aceitava seus cortejos, e parecia se ofender quando Kit a elogiava. Até que um dia Kit conseguiu tirar Lauren do sério chegando ao ponto de ela dizer que sabia que seus galanteios eram mentirosos e que se sentia ofendida e era desonroso fazer isso com uma dama. Para Kit, um ex militar, a honra é algo muito valioso e era também a única coisa que lhe restara. Então Kit sente-se envergonhado e decide contar toda a verdade a Lauren e pedir desculpas pelo seu comportamento.

Lauren, por sua vez, após ouvir a confissão de Kit, pensa que essa pode ser a chave para a sua liberdade e propõe um acordo: os dois simulariam um noivado durante o verão, ao final do qual Lauren romperia o compromisso, ficando assim livre para viver como bem entendesse, sem a interferência dos parentes. Kit aceitou o acordo, mas não imaginava as proporções que a farsa alcançaria. 




Eu estava ansiosa pela leitura desse livro por dois motivos: 1. Para conhecer o final feliz da Lauren, depois que ela foi abandonada no altar no livro anterior (Uma noite de amor), e, 2. Entender melhor o que aconteceu entre a Freyja e o Kit (saga Os Bedwyns). Lembrando que esse livro não foi lançado no Brasil, eu li a versão lançada em Portugal, e já adianto que valeu muito a pena. 

Costumo dizer que amo os livros da autora porque eles sempre trazem algum tipo de reflexão ao mesmo tempo em que a narrativa se mantém leve. Dessa vez, a reflexão ficou por conta da minha identificação com a Lauren. É incrível como sempre quereremos ser o que não somos, não é? Vou explicar: a Lauren é toda certinha e desde criança sempre seguiu a risca todas as regras porque queria ser aceita e achava que devia isso à família que à acolheu depois que sua mão partiu em uma lua de mel infinita. E Neville, seu ex noivo, casou com Lilly, um espírito livre, e Lauren não pode deixar de pensar que nunca vai ser capaz de ser tão espontânea, tão divertida... E como Lauren poderia despertar a paixão de qualquer homem, sendo tão insípida? 

E eu adorei acompanhar a percepção da Lauren de que ela era diferente da Lilly, mas isso não a tornava nem pior e nem melhor do que ela. As duas tiveram vidas totalmente diferentes: Lilly seguira o exército com o pai durante a maior parte da vida, enquanto Lauren fora criada desde pequena para ser uma condessa. 

Já do Kit eu não gostei muito no começo, primeiro por causa daquela coisa de aposta, segundo porque ele parecia não levar nada a sério. Demorou um pouco para que ele começasse a se abrir e revelar os motivos por trás das suas atitudes. E quando ele finalmente fez isso, acabou conseguindo me conquistar e eu me vi torcendo pela felicidade dele e para que ele conseguisse conquistar a Lauren.

Sim, o Kit se apaixonou primeiro! A partir do momento em que revelou a aposta, Kit decidiu ser honrado e disse que para ele o noivado seria real, que a única que poderia rompê-lo era a Lauren e ele tentaria convencê-la a realmente casar-se com ele. Então, esforçou-se para conhecê-la melhor e para fazer com que ela se divertisse, e acabou se apaixonando durante o processo. Mas não foi nada repentino nem forçado, aconteceu aos poucos, um companheirismo que se transformou em amizade e admiração e aos poucos se transformou em um sentimento mais forte. Mas como ele conquistaria a dama do gelo? Como ele faria Lauren confiar nele e acreditar nos seus sentimentos?

Posso dizer que amei a leitura. O livro tem muito mais histórias do que as dos personagens principais, tem uma carga de drama, e mesmo assim é leve, e, vou repetir: simplesmente amo a maneira como a autora consegue trazer algumas reflexões sem ser um constante tapa na cara do leitor. Valeu a pena ter lido a versão lançada em Portugal e juro que, se esse e o primeiro livro (uma noite de amor) forem lançados no Brasil, eu vou comprá-los. 

Espero que tenham gostado da resenha.
Fiquem de olho que logo tem mais!






Barbara M. Cabalero
Advogada, concurseira e apaixonada por livros desde criança.
Meu gênero favorito é fantasia, mas sou bastante eclética,
leio quase todos os gêneros.
2 Comentários | BLOGGER
Comentários | FACEBOOK

2 comentários:

  1. Tudo bem?
    Não é meu tipo de leitura preferida, mas eu conheci a escrita da autora e gostei muito.
    Pretendo confefir esse também.
    Gosto de livros assim que surpreendem com conteúdo, história e drama e ainda assim, tenha a leveza de livros que causam aquela sensação de reflexões interessantes.

    Beijos.

    ResponderExcluir
  2. Olá, então esse é o famoso Kit que mexeu tanto com a vida da Freyja (já li o livro dela). Pena não ter sido publicado no Brasil. Achei muito interessante essa reflexão que a protagonista faz, ao perceber que seu jeito de ser ou sua vida não lhe fazem menor que a moça por quem seu ex pretendente se apaixonou.

    ResponderExcluir

 
© Galáxia de Ideias, VERSION: 01 - BLUE UNIVERSE - janeiro/2018. Todos os direitos reservados.
Criado por: Maidy Lacerda. Widget inspirado/base do menu por MadlyLuv
Tecnologia do Blogger.
imagem-logo