RESENHA DE A MULHER NA JANELA – POR A.J. FINN
RESENHA DE CONTAGEM REGRESSIVA – POR KEN FOLLETT
RESENHA DE UM SEDUTOR SEM CORAÇÃO – POR LISA KLEYPAS

[Resenha] Contagem regressiva - Por Ken Follett

28 março 2018

Título: Contagem Regressiva
Autor (a): Ken Follett
Páginas: 320
Editora: Arqueiro
Skoob || Goodreads
Compre: Amazon || Submarino || Americanas

Sinopse: Certa manhã, um homem acorda no chão de uma estação de trem, sem saber como foi parar ali. Não faz ideia de onde mora nem o que faz para viver. Não lembra sequer o próprio nome. Quando se convence de que é um morador de rua que sofre de alcoolismo, uma matéria no jornal sobre o lançamento de um satélite chama sua atenção e o faz desconfiar de que sua situação não é o que parece.
O ano é 1958 e os Estados Unidos estão prestes a lançar seu primeiro satélite, numa tentativa desesperada de se equiparar à União Soviética, com seu Sputnik, e recuperar a liderança na corrida espacial.
À medida que Luke remonta a história da própria vida e junta as peças do que está por trás de sua amnésia, percebe que seu destino está ligado ao foguete que será disparado dali a algumas horas em Cabo Canaveral.
Ao mesmo tempo, descobre segredos muito bem guardados sobre sua esposa, seu melhor amigo e a mulher que ele um dia amou mais que tudo. Em meio a mentiras, traição e a ameaça real de controle da mente, Luke precisa correr contra o tempo para conter a onda de destruição que se aproxima a cada segundo.


"Pior do que isso: estava aterrorizado. O coração batia forte, a respiração saía ofegante e o corpo estava rígido. Era como um pesadelo, só que o despertar não havia trazido nenhum alívio. Sentia que algo pavoroso tinha acontecido, mas não fazia ideia do que podia ser."

Era uma manhã gelada de janeiro de 1958 quando ele acordou deitado no chão de um banheiro sujo. Sua mente não recordava de nada, nem sequer de seu próprio nome. Logo, apareceu ao seu lado, como em um passe de mágica, um outro homem, que declarou se chamar pete, e o chamou de Luke, e o informou que ele havia passado por uma grande bebedeira na noite anterior. Após segundos de hesitação e após se ver no espelho, uma imagem desgrenhada, suja e degradante, Luke resolveu acreditar na história que havia lhe sido contada, embora tudo lhe soava muito estranho. Ao começar andar pela cidade, ainda perdido e tentando entender se a rua era o seu habitat natural ou se ele morava em algum lugar, percebeu que estava sendo vigiado de perto, e, ao tentar se livrar dos perseguidores, surgiram em sua mente técnicas de fuga e de luta, como se ele fosse um agente secreto. Após horas de tensão, nas quais deu voltas e estratégias para se livrar de seus perseguidores, Luke se depara com uma banca de jornal, que declara em manchetes enormes o grande acontecimento do  mês, ou até mesmo da década: o lançamento de um foguete pelos estados unidos, o que seria um grande passo na disputa daquela guerra fria entre aquela potência e a Rússia.


"Caminhou pela avenida de olmos ingleses respirando o ar frio e puro, confortado pelas árvores antigas e pela presença da água. A manhã tivera alguns momentos ruins, mas ele resistira, contando uma mentira diferente para cada participante do jogo.

Embora incrédulo e sem acreditar, quanto mais Luke junta às peças, percebe que embora esteja em Washington, o seu lugar naquele dia deveria ser Cabo Canaveral, na Flórida, o lugar de lançamento do tal foguete, pois sua intuição dizia que ele tinha algo muito pessoal à ver com aquilo. à medida que o dia passa, peças do quebra-cabeças vão sendo descobertas e engrenagens vão sendo giradas, Luke percebe que há alguém querendo tirá-lo do caminho a todo custo, e que essa eliminação súbita dele também teria a ver com o sucesso ou fracasso do lançamento do foguete, e então, ao pedir ajuda de amigos e velhas pessoas com quem ele se relacionava há muitos anos, Luke percebe que as pessoas nem sempre falam a verdade, que nossos maiores amigos podem também ser nossos piores inimigos, e que aqueles a quem mais amamos podem tomar atitudes das quais não sentimos orgulho.

"Se conseguisse encontrar Luke, ainda poderia consertar as coisas. Mas precisaria tomar medidas drásticas. Não seria mais suficiente simplesmente vigiá-lo. Precisaria resolver o problema de uma vez por todas."

Em ritmo alucinante, no qual não conseguimos desgrudar um só minuto das páginas, Ken Follett constrói um thriler fascinante que traz como pano de fundo a guerra fria e também explora com magistralidade o amor, o ódio, a amargura, os traumas e todos os demais sentimentos humanos e voláteis.

"– A guerra me ensinou que nada é tão importante quanto a lealdade.
– Que besteira. Você ainda não aprendeu que, quando as pessoas estão sob pressão, todas estão dispostas a mentir.
– Até para quem elas amam?
– Mais ainda para quem amam, porque se importam demais com essas pessoas. Por que você acha que dizemos a verdade aos sacerdotes, psiquiatras e estranhos que conhecemos no trem? Porque nós não os amamos, por isso não nos importamos com o que eles porventura pensem."






Ler Ken Follett é sempre uma experiência única e fascinante, da qual saímos com muito à dizer, mas sem saber muito bem quais palavras usar para descrever a grandiosidade dos nossos sentimentos ou a genialidade do livro que acabamos de ler. E, certamente, com Contagem regressiva, um título pelo qual eu estava ansiosa, não foi diferente. Comecei despretensiosamente a leitura no início de uma manhã, e terminei, por mais impossível que possa parecer, logo após o almoço, o que computou umas sete horas de leitura interruptas, nas quais eu pensava: "só vou ler mais um pouquinho, preciso saber o que está acontecendo", até que me vi no grande final, cheia de vontade de começar tudo de novo, só para me sentir tão empolgada outra vez.







Esse livro, como vários outros que já li do autor, tem alguns elementos familiares, mas que combinados dentro do pano de fundo escolhido para o momento, formam um quebra-cabeças especial e estimulantes, e durante a leitura, me senti como se estivesse dentro de um carro em alta velocidade, com um motorista meio maluco na direção, mas que ao mesmo tempo sabe o que está fazendo, e que faz curvas, dá freadas e aceleradas inesperadamente e nos chacoalha tanto que ficamos meio confusos com as voltas, mas ainda assim, ao final da viagem estamos completamente apaixonados por como tudo terminou. Dito isso, preciso ressaltar que este, além de ser um thriler, carregado no suspense e cheio de tramas  de perseguição e segredos, é também um belo livro histórico, que fala de forma muito dinâmica e clara sobre o processo de lançamento do primeiro foguete dos EUA durante a guerra fria, e de todo o esquema por traz disso, pois tudo teve de ser muito bem arquitetado para nada dar errado e se transformar em um grande fracasso novamente, e, apesar de todos sermos humanos e podermos errar em pesquisas, achei o que Ken Follett nos apresentou muito bem feito e coerente, e acredito que tudo nesse livro é muito bem fundamentado.







Embora haja vários pontos muito positivos que eu posso realçar, começo a destacá-los pelo fato de que a mescla de gêneros, envolvendo thriler, história e romance é sempre fascinante, e faz com que nos envolvamos intensamente com o livro, à medida que o autor nos apresenta conflitos de dimensões mundiais e conflitos de dimensões pessoais que se misturam e formam algo fascinante. Além disso, Ken Follett escreve em um ritmo ágil, que faz com que nos sintamos lá no próprio cenário que está sendo descrito, o que ele também faz maravilhosamente bem, e entramos no ritmo dos personagens, ficando sem fôlego, com medo e com um frio na barriga, diante de cada cena que se desenrola dentro das páginas.

Já para os adeptos de romance, o autor também não deixa a desejar nesse ponto, e traz uma trama romântica e meio dramática digna de  troféu, e embora esse não seja o principal objetivo do livro, é uma linha que corre durante toda a obra, e que dá um charme a mais, à medida que descobrimos uma teia de segredos, mentiras, desencontros e partidas, nas quais atitudes que são direcionadas à uma só pessoa podem afetar um país inteiro.

Não consigo determinar muito bem pontos que poderiam ser negativos nesse autor e nesse livro, e embora esse não seja o meu favorito dentre os que ele escreveu, ele é impecável. Mas, talvez para leitores que não se interessam por essa pegada mais histórica, bem como o ritmo de thriler, talvez esse possa ser um livro desagradável, embora acho que Follett ultrapassa todas as barreiras e é um autor único e sensacional que merece ao menos uma chance sempre.







Os personagens são completamente bem construídos, e cada um possui mil facetas, o que acaba nos confundindo e eu não conseguia mais saber quem era efetivamente bom, quem era efetivamente mau, e por vezes eu gritava mentalmente: "não confie nessa pessoa!", até ver que era exatamente naquela pessoa que o protagonista deveria confiar e vice-versa. E, falando em Luke, o protagonista, ele é um homem que consegue nos conquistar já nas primeiras páginas, o que faz com que fiquemos torcendo fortemente por ele durante todo o livro, e confesso que criei um desejo de protegê-lo. Além de Luke, temos alguns outros personagens  interessantes no livro que fazem parte do grupo de amigos de Luke da época da faculdade e que agora, vinte anos depois, ainda mantém relações, e um deles é Anthony, um homem poderoso, ousado e que em alguns momentos nos faz sentir raiva, e em outros afeto. Há ainda Bern, o terceiro amigo que achei bem apagadinho, apesar de depois ele ter alguns papéis relevantes no enredo, e as mulheres, Elspeth, que foi alguém que me pareceu muito instável desde o começo do livro, e Billie, uma personagem que inicialmente tive uma impressão de que seria alguém até mesmo fútil, mas que me surpreendeu muito mais do que eu esperava.

O livro é dividido por horários, que mudam em intervalos de mais ou menos uma hora, e as vezes os intervalos são maiores, e o autor nos descreve o que está acontecendo em cada hora. A trama se passa em apenas dois dias, o que colabora para esse ritmo completamente ágil que é impresso em cada página. Além disso, a narração é feita em primeira pessoa, e além de encontrarmos narrativas sobre os dois dias de janeiro que antecedem o lançamento do foguete, também encontramos cenas da segunda guerra mundial, de 1941 em diante, e também dos anos 1950, o que serve para explicar como começaram algumas relações e ligações que se estendem até o presente dos personagens. Ainda, vale ressaltar que Contagem regressiva foi, no passado, lançado pela editora Rocco, intitulado de Código explosivo, e em 2018 foi relançado pela editora Arqueiro com nova capa e tradução, sendo esta segunda a versão que eu li.







Recomendo esse livro para os fãs inveterados de Ken Follett, que certamente encontrarão aqui uma de suas obras mais incríveis e ficarão com um gostinho de "preciso de outro livro do autor para ontem", ou para aqueles que desejam conhecê-lo, essa é uma das dicas mais que recomendadas, pois encontrarão nessa obra suspense, mistérios, tramas mirabolantes, segredos, amor e história, e certamente esse será o ponto de partida para que esses leitores se encantem profundamente e corram para as livrarias todas as vezes que encontrarem um novo lançamento desse autor.














Tamara Padilha
Leitora compulsiva com foco em quase todos os gêneros
(exceto os romances de época e ficção científica).
Apaixonada por escrita, e em breve bacharel em direito.
24 Comentários | BLOGGER
Comentários | FACEBOOK

24 comentários:

  1. Concordo plenamente. O ritmo foi excelente e eu li muito rápido porque tudo corre demais. Não foi cheio de história mas foi muito cheio de adrenalina. Eu amo este autor e ele nunca me decepciona e sua resenha falou tudo!

    ResponderExcluir
  2. Olá!
    Já tinha ouvido falar do livro, por alto, mas não conhecia sua história ainda. Achei muito interessante a trama proposta, ainda mais por colocar como ambiente a guerra fria! Adorei a dica e já anotei, algo me diz que vou gostar muito!
    Abraços

    ResponderExcluir
  3. UAU Tamara, que resenha! mega, hiper, completa, parabéns! Eu nunca li nada do autor, mas gosto desse cenário da guerra fria e pela resenha deu pra entender que ele mistura muito bem os gêneros, ou seja, mesmo eu que adoro um romance vou acabar curtindo. Parece um livro muito bem construído, fiquei curiosa!

    Bjs, Mi

    O que tem na nossa estante

    ResponderExcluir
  4. Oii tudo bem ?
    Resenha maravilhosa ainda n tive a oportunidade de ler nada do autor mais fiquei bem curiosa com a trama orei adicionar na lista de leituras .

    Bjs

    ResponderExcluir
  5. Oiii Tamara

    A resenha ficou muito boa e acredito que pra quem é fã do Follett a dica é das melhores realmente. Eu não consigo me prender nos livros desse autor, por isso por enquanto vou deixar a dica passar. Quem sabe um dia...

    Beijos

    www.derepentenoultimolivro.com

    ResponderExcluir
  6. Amo thriller e todo esse ritmo alucinante que vemos em algumas histórias. Não conhecia este livro, mas gostei do que apresentou, ainda mais em saber que a escrita do autor é fascinante a ponto de se tornar uma leitura interrupta. Nunca li nada do autor, mas vou anotar esse nome aqui.

    Abraços.
    https://cabinedeleitura0.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  7. Olá!
    Que resenha maravilhosa vc fez!
    Eu sou muito fã de Ken F. desde de jovem e este livro está no meu Kindle e ainda não foi possível ler. Mas eu não podia esperar nada de diferente nos elogios que vc fez, o cara é fodástico!
    Bjs

    ResponderExcluir
  8. Olá!! :)

    Eu confesso que não conhecia este livro, mas ainda abem que gostaste de fazer a leitura! :) Quero ler algo do autor em breve!!

    Que bom que, mesmo não sendo o teu favorito do autor, o livro tenha sido impecável! Enfim, achei interessante essa deivisao em horários...

    Boas leituras!! ;)
    no-conforto-dos-livros.webnode.com

    ResponderExcluir
  9. Oie!
    Nunca li nada do autor, mas pela sua resenha, sei que preciso conhecê-lo, essa é a primeira vez que leio uma resenha dos livros dele, apesar de já ter visto alguns livros por aí, amo essa mistura de gênero, com certeza a leitura se torna ainda mais prazerosa! Um autor que merece ser lido! <3 Espero ter a oportunidade!

    Beijos,
    Eli - Leitura Entre Amigas
    http://www.leituraentreamigas.com.br/

    ResponderExcluir
  10. Oi, tudo bem? Nunca li nada desse autor, mas vejo muita gente só falando bem. A temática me interessou, porque gosto muito quando a ficção se mistura com fatos históricos. Fiquei curiosa para conhecer. Adorei suas fotos, aliás! <3 E sua resenha tá 10/10, me convenceu muito!

    www.ninaeuma.blogspot.com

    ResponderExcluir
  11. Olá, tudo bem?
    Eu gosto muito de thrillers e mesmo assim, não conhecia esse livro, sua resenha me deixou curiosa para saber o que acontece e como será o final dessa história.
    Parabéns pela resenha linda e entusiasmada!

    Beijos e abraços
    http://vickyalmeida.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  12. Oi, Tamara!
    Eu nunca li nada do Ken, mas ele é super elogiado. Só de saber que ele mistura thriller e romance de uma forma convincente, já está na listinha de autores a serem conferidos.
    Beijos
    Balaio de Babados

    ResponderExcluir
  13. Oi!! Ler Ken é mesmo maravilhoso, ele tem uma maneira única de envolver os pequenos detalhes e tecer uma trama gigante que nos deixa de boca aberta. Este livro eu ainda não conhecia, e achei muito interessante essa ambientação no final da década de 50, e toda a corrida espacial dos EUA com a Rússia. O mistério de como o protagonista acorda sem se lembrar de nada, e toda a trama e segredos ocultos sobre sua vida é muito curioso. Parabéns pela ótima resenha!

    Bjoxx – http://www.stalker-literaria.com/

    ResponderExcluir
  14. Olá!
    Eu sempre vejo bons comentários sobre esse autor e a forma como desenvolve suas histórias.
    Só do fato de ter alguns mistérios na trama além do contexto histórico me agradaria conhecer essa história.
    Espero realizar em algum momento.
    Beijos!

    Camila de Moraes.

    ResponderExcluir
  15. Olá, tudo bem? AH com tenho vontade de ler o autor, e ainda não tive oportunidade de fazer isso. Sua resenha está maravilhosa, e só me faz ficar mais curiosa ainda com a escrita do autor. Espero que consiga mudar isso em breve. Suas fotos estão lindas <3
    Beijos,
    http://diariasleituras.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  16. Eu ainda não li nada do autor, mas tenho curiosidade porque sempre ouço e leio elogios para com suas obras. Uma coisa que gostei na sua resenha foi você falar do romance, coisa que sempre aprecio.
    Beijos

    ResponderExcluir
  17. Oi!

    Eu nunca li nada desse autor, mas sempre tive interesse, porque todos falam super bem dele. Adorei a sua resenha e só pelo fato de você ter lido em tão pouco tempo, me deixou com vontade de ler. Me parece ser uma história muito bem escrita e contada. Anotei a dica, espero ler o autor logo.
    beijos!

    ResponderExcluir
  18. Olá, tudo bem?

    Confesso que nunca li nada do autor, mas que a premissa desse livro e a forma com que vc o presentou me chamou a atenção. Acho thrilers legais, mas raramente os leio, são mai a praia de uma amiga minha, minha prceira de blog, mas esse me deixou com vontade de ler.

    Beijo!

    ResponderExcluir
  19. Oie!
    Nosssa, acredita que eu não li nenhum livro desse autor ainda? Me sinto culpada demais porque pelo que me parece ele é simplesmente fantástico.
    A sua resenha aguçou minha curiosidade, mas confesso que tenho problemas com livros que se passa na guerra, então estou um pouco em duvida se leria ou não

    beijos,
    Mayara

    ResponderExcluir
  20. Primeiro preciso dizer que tenho uma certa inveja de quem lê Ken Follet... e você fez em sete horas??? Uau!!!!
    Não é meu estilo de leituras e, mesmo tendo tentado ler não me identifiquei com o estilo do autor então acabou não rolando para mim. Embora, cada vez que leio uma resenha como a sua, com tantas coisas que me deixam pensando que o livro é mais do que interessante me bate a maior vontade de arriscar de novo...
    Beijinhos,
    Lica

    ResponderExcluir
  21. Oi Tamara, tudo bem?
    Tenho muita vontade de ler este autor, conheço as obras dele, mas nunca li nada. Inclusive esta é a primeira resenha que leio e não me decepcionou, realmente é o tipo de livro que gosto de ler. Ele é um autor muito comentado nos grupos que participo e espero ler pelo um ainda este ano! Amei sua resenha e dica anotada!
    http://colecionandoromances.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  22. Olá Tamara,
    Tenho livros do Ken Follett em casa, mas não li nada dele ainda, apesar de ter muita vontade. Fiquei muito contente por saber que, mesmo não sendo o melhor do autor, esse livro é impecável. Como eu gosto muito de obras desse gênero que tem questões teóricas e históricas, acho que isso não seria um problema pra mim.
    Achei sua resenha impecável, como sempre, e as fotos ficaram maravilhosas.
    Vou anotar a dica!
    Beijos

    ResponderExcluir
  23. Olá!
    Nunca li nada do autor e confesso não me sinto atraída pelos seus livros, mas lendo a sua opinião fiquei curiosa com esse livro, pois adoro livros eletrizantes, e fiquei bem curiosa com tudo que Luke irá passar, anotei a dica aqui e espero ler em breve!

    beijos!

    ResponderExcluir
  24. Olá Tamara!!!
    Admito que nunca li nada do autor apesar de muitas pessoas que leram o elogiarem mesmo por causa de sua escrita e de suas história bem construídas, mas apesar de tudo isso não me vejo tão presa a lê-lo.
    Gostei mesmo assim de saber que o autor narra os fatos bem e faz uma ligação bacana entre os fatos históricos da obra. Mas não minto que quando vi algo como amnésia me lembrei de um filme com esse nome e que me lembrou em parte algo do livro rsrsrs

    lereliterario.blogspot.com

    ResponderExcluir

 
© Galáxia de Ideias, VERSION: 01 - BLUE UNIVERSE - janeiro/2018. Todos os direitos reservados.
Criado por: Maidy Lacerda. Widget inspirado/base do menu por MadlyLuv
Tecnologia do Blogger.
imagem-logo