RESENHA DE A MULHER NA JANELA – POR A.J. FINN
RESENHA DE CONTAGEM REGRESSIVA – POR KEN FOLLETT
RESENHA DE UM SEDUTOR SEM CORAÇÃO – POR LISA KLEYPAS

[Resenha] Tempo de partir - por Jodi Picoult

13 julho 2018

Título: Tempo de Partir
Autor (a): Jodi Picoult
Páginas: 434
Editora: Verus
Skoob || Goodreads
Compre: Amazon

Sinopse: Faz mais de uma década que Jenna Metcalf não consegue parar de pensar em sua mãe, Alice, desaparecida em circunstâncias misteriosas logo após um trágicoacidente. Jenna se recusa a acreditar que a mãe a abandonaria e continua buscando pistas on-line e nas páginas de seus antigos diários. Alice era uma cientista que pesquisava o sofrimento entre os elefantes e, nos diários, escrevia basicamente sobre esses animais que tanto amava, mas Jenna tem esperança de encontrar alguma pista sobre seu paradeiro.
Desesperada por respostas, ela convoca dois improváveis aliados: uma médium famosa por encontrar pessoas desaparecidas e o detetive que investigou originalmente o caso de Alice, assim como a estranha morte de uma das colegas dela.
Conforme trabalham para tentar descobrir o que realmente aconteceu com Alice, percebem que, ao fazer perguntas difíceis, terão respostas ainda mais duras. E, à medida que as memórias de Jenna se encaixam com os eventos dos diários de sua mãe, a história se encaminha para um hipnotizante desfecho.
Emocionante e surpreendente, Tempo de Partir mostra Jodi Picoult no auge de seu talento.

 "A moral dessa história é que às vezes a gente pode querer fazer toda a diferença no mundo e ainda assim isso ser como tentar segurar a maré com uma peneira.
A moral dessa história é que, por mais que tentemos, por mais que desejemos... algumas histórias simplesmente não têm final feliz."

Jenna Metcalf era uma garota de treze anos que nunca se sentiu realmente encaixada em algum lugar no mundo. Isso se dava principalmente pelo grande acontecimento de sua vida, que se deu quando ela era apenas uma menina de três anos de idade, pois  em uma certa noite sua mãe, Alice, desapareceu do santuário de elefantes onde elas viviam sem deixar rastros, ao mesmo tempo que a tratadora de elefantes do santuário morreu sendo pisada por um elefante, e com isso a menina perdeu o seu lar, sua família e tudo aquilo que ela amava e tudo que lhe era familiar, e teve de ir morar com uma avó silenciosa que ela pouco conhecia. Porém, durante aqueles dez anos desde o fatídico dia, Jenna jamais se conformou, e decidiu que não descansaria enquanto não encontrasse sua mãe, uma vez que pelas lembranças que tinha desta, sabia que Alice jamais lhe abandonaria assim à deriva, pois esta amava a filha mais que tudo.


"Todo policial tem o caso que deu errado.
Para alguns, isso se torna uma lenda, uma história que eles contam em todas as festas de Natal do departamento e quando bebem cervejas demais com os colegas. É a pista que não viram e estava bem diante do nariz, o arquivo que foi doloroso fechar, o caso que nunca foi encerrado. É o pesadelo que eles ainda têm de vez em quando, do qual acordam suados e assustados.
Para o resto de nós, é o pesadelo que ainda estamos vivendo.
É o rosto que vemos atrás de nós no espelho. É a pessoa do outro lado do telefone quando ouvimos aquele silêncio misterioso. É sempre ter alguém conosco, mesmo quando estamos sozinhos."

Antes da fatídica noite, Alice Metcalf era uma cientista dedicada, estudiosa de elefantes e amava todas as suas nuances desde muito nova. Após passar certo tempo na África, acompanhando os elefantes na natureza, Alice conhece um visitante, Thomas Metcalf e se apaixona por ele. Após algumas semanas envolvidos em um caso de amor Thomas vai embora, mas quando descobre estar grávida, Alice abandona toda a vida selvagem que conhecia na África e passa a viver ao lado do pai de seu bebê, em um santuário de elefantes que ele criara. Estando ao lado de seus amados animais, apaixonada por um bom homem, e com um bebê prestes a nascer, Alice imagina que a vida está perfeita, até que coisas estranhas passam a acontecer e ela descobre que talvez os fatos não sejam como ela imaginava e que as pessoas possuem atitudes inesperadas e por vezes terríveis.

"— Guardar um segredo nem sempre é mentir. Às vezes é o único jeito de proteger a pessoa que você ama."

Enquanto tenta desvendar o desaparecimento de Alice, Jenna só tem em mãos um velho diário, onde sua mãe escrevia intensamente sobre o processo de luto e sofrimento dos elefantes, mas essa é a sua única esperança de ter pistas. Porém, tudo muda quando ela encontra duas pessoas que podem lhe ser úteis nessa busca: o detetive que investigou o desaparecimento de Alice, e também uma médium desacreditada pelo mundo inteiro. À medida que esse trio improvável entra em uma busca profunda, eles descobrem muito sobre Alice, Thomas, o santuário e os habitantes daquele na época da tragédia, e percebem que as histórias possuem muito mais camadas do que imaginamos, e que as surpresas estão onde menos se espera.

"— Terminar uma jornada não é pouca coisa — elogio. — Mas o que ninguém nunca lembra é que, depois que a gente chega lá, ainda tem que virar e fazer todo o caminho de volta para casa.

Em uma narrativa extremamente criativa, tocante e fascinante, Jodi Picoult cria um livro arrebatador, que é capaz de chocar e fazer bater forte o coração, à medida que desvendamos cada nuance dessa história surpreendente e encantadora, e ao final alternamos entre a emoção e a saudade desses personagens que nos deixam tão apaixonados.

"Poderia ser tão simples assim? Poderia o amor não ter a ver com gestos grandiosos ou votos vazios, nem promessas para serem quebradas, mas, em vez disso, uma trilha de perdão? Um caminho de migalhas feito de lembranças, para levar você de volta à pessoa que estava esperando?"




Há certo tempo, amo acompanhar as histórias de Jodi Picoult, e ela é o tipo de autora que consegue me deixar maravilhada e encantada com suas histórias, e eu já li todas as que consegui. E com Tempo de Partir não foi diferente e percebi, assim que soube do lançamento, que essa era uma história que prometia bastante mistério, embora eu não depositei tantas expectativas sob ela, como aconteceu com outras que ela lançou, e fui mais no embalo de "pagar para ver o que me esperava." Mas, posso dizer sem dúvida nenhuma que esta foi uma leitura maravilhosa, que conseguiu me surpreender de mil formas diferentes, e ao terminar eu estava com o queixo caído, de tão chocada que fiquei devido a história ter seguido um rumo que eu não esperava, e posso dizer que sem sombra de dúvida, quando eu estabelecer o meu top dez de melhores leituras de 2018 essa certamente estará lá no meio.

Tempo de Partir não é um livro com romance, no sentido romântico da palavra. É um livro que vai muito além de paixão entre um casal, e aborda relações familiares, de amizade, sentimento entre pais e filhos, perdas, dores, encontros, desencontros e o fechamento de ciclos, apesar de em alguns momentos encontrarmos alguns casais que se formam durante a trama, mas esses não se tornam o grande foco do livro. Pode-se na verdade resumir este como sendo um livro de amor, nos vários sentidos da palavra.

Duas das palavras que encontro para melhor definir esse livro são maduro e surpreendente. Maduro pois apesar de termos uma protagonista de treze anos, essa demonstra uma maturidade inimaginável, e também os temas aqui abordados trazem essa maturidade implícita em si, nos fazendo refletir e mergulhar a fundo neles. Também, surpreendente pois como mencionei, é um livro cujo final eu jamais imaginei, e apesar de ter me feito alguns questionamentos durante a trama que poderiam ser indicativos do caminho que ele ia tomando, eu jamais o consegui descobrir por mim mesma, e acredito que poucos leitores o farão pois é algo muito sutil e vai se construindo a partir de uma teia que vai nos conduzindo delicadamente ao caminho certo, e o final foi bastante satisfatório, embora talvez não possamos considerá-lo estilo felizes para sempre ,e sim é mais voltado para um lado realista.

A narrativa de Jodi certamente é uma das coisas mais maravilhosas da história. Com a escrita intensa e envolvente que tem, a autora nos transporta diretamente para dentro da história, e nos faz dar vida aos personagens, inclusive para os animais que são presença constante nesse enredo, e sentimos como se visualizássemos um filme em nossa mente, de tão realista que tudo parece ser. Além disso, os cenários criados, envolvendo na maioria das vezes animais selvagens se mostraram muito diferentes e também fascinantes, e embora um ambiente com animais selvagens devesse parecer intenso, eles pareceram apenas naturais e lugares de acolhimento, tanto para os personagens humanos, quanto para os personagens animais, que encontram nesses locais o melhor e o pior de cada ser vivo.

Há dois fatos especiais que merecem uma menção aqui, e embora eu não os ache pontos negativos, até porque achei esse livro tão incrível que não mudaria nenhuma palavra dele sequer, mas, preciso destacá-los como uma forma de alerta para alguns leitores. Em primeiro lugar, a autora fala muito de elefantes através da personagem Alice, e na maioria das passagens que encontramos narradas por ela, suas divagações são sobre elefantes, seu processo de luto, de amor e etc., e isso pode em algum momento se tornar chato para os menos pacientes, embora ela não fale sobre esses temas de forma aleatória, e sempre os associa à coisas da natureza humana, e podemos até mesmo descobrir fragmentos do mistério através desse diário. O outro ponto, e aqui envolve muito crenças pessoais, e também talvez somente uma leitura da obra para conseguir  saber se o fato incomodaria ou não, é que esse livro aborda de certa maneira um lado espiritual, que não está tão presente durante o decorrer da história, mas que vem à tona em alguns momentos, e como mencionado, pode acabar não sendo positivo por envolver crenças pessoais, mas este também não vem como uma religiosidade intensa e nem nada do estilo, apenas é uma situação presente na obra.

Os personagens merecem destaques especiais, e é difícil definir qual o meu preferido, uma vez que todos foram criados com personalidades tão fortes e ao mesmo tempo delicadas, com vozes tão próprias que passamos a adorá-los cada um a seu modo. Mas, talvez a que mais me surpreendeu foi Jenna, por em primeiro lugar ser uma garota de treze anos que tem uma mentalidade de trinta, e sua maturidade é até um pouco espantosa e ela tem uma independência enorme, embora o contexto da história justifique isso. Jenna é a adolescente mais determinada que encontrei em toda a literatura, e se fosse para descrever a melhor adolescente de uma história essa seria a pequena grande Jenna. Mas, sua mãe não fica muito atrás, e Alice foi uma personagem que me deixou maravilhada principalmente por todo o seu amor pelos animais, especialmente os elefantes que são os focos de seus estudos, e eles também foram algo bem inédito na história, pois eu pouco tinha visto esses animais em algum livro.

Além dessas duas personagens, que são as melhores para mim, há ainda dois personagens importantíssimos no enredo e que são bastante peculiares e cativantes à seu modo. A primeira é Serenity, a médium com quem Jenna estabelece contato, e embora essa a princípio pareça uma daquelas videntes mais falsas que uma nota de 15 reais, aos poucos vamos desenvolvendo um afeto por ela, e de certa forma vamos passando a acreditar no que ela nos apresenta, e conseguimos entendê-la. O outro personagem é Virgil, o detetive responsável pelo caso de Alice, que sempre foi um caso sem solução em seu histórico, portanto algo do qual ele nunca esqueceu, assim quando encontra Jenna em sua frente e tem a oportunidade de se redimir, ele dá tudo de si e se mostra um ótimo detetive apesar de ter uma vida muito caótica, mas tem um jeito todo paternal, que também me conquistou.

O livro é narrado em primeira pessoa, nas visões alternadas de Jenna, Alice, Serenity e Virgil, sendo que não há uma ordem específica no surgimento desses pontos de vista, e isso se tornou muito bacana porque podemos encontrar várias opiniões e impressões sobre os acontecimentos, o que torna tudo mais dinâmico.

Tempo de Partir é uma daquelas histórias que tem a possibilidade de se tornar inesquecível, tanto por seu conteúdo quanto pela forma como é conduzida. É uma obra mais que recomendada para os fãs de histórias belas, impactantes, densas e que nos tocam profundamente e passam dias a fio rondando nossa mente.






Tamara Padilha
Leitora compulsiva com foco em quase todos os gêneros
(exceto os romances de época e ficção científica).
Apaixonada por escrita, e em breve bacharel em direito.
17 Comentários | BLOGGER
Comentários | FACEBOOK

17 comentários:

  1. Adorei a resenha!❤ Parece um livro com vários elementos que eu gosto rs.

    ResponderExcluir
  2. Oiiii,

    No início eu achei que ia ser um thriller meio sobrenatural e tal, não imaginei que as coisas a enveredar por outro caminho assim rs. Fiquei curiosa principalmente por conta da médium e como a história vai se desenvolver a partir disto, mas principalmente se a mãe vai ser encontrada ou o que aconteceu com ela. Já anotei a dica e espero poder conferir em breve.

    Beijinhos...
    http://www.paraisoliterario.com

    ResponderExcluir
  3. Tudo bem?
    Li esse livro tambémé e gostei muito.
    A autora escreve muito bem. A forma como a autora conduz o enredo é espetacular.
    O tempo inteiro me vi completamente presa às páginas.

    Beijos.

    www.alempaginas.com

    ResponderExcluir
  4. Oiii Tamara

    Eu amo livros narrados na primeira pessoa, acho que a gente se envolve mais ao conhecer a perspectiva direta do personagem. Amei a dica porque nunca li nada da Jodi e é uma autoa que gostaria de conhecer e por se tratar d eum livro que é muito amis que um romance comum, abarcando vários tipos de relações. Esse vai pra listinha com certeza.

    Beijos

    www.derepentenoultimolivro.com

    ResponderExcluir
  5. Menina, eu nunca ia imaginar que a protagonista desse livro tem somente treze anos. Imagino que, por conta disso, a história deve ter uma carga bem mais pesada.
    Beijos
    Balaio de Babados

    ResponderExcluir
  6. Oiii!

    Eu ainda não conhecia esse livro nem a autora, mas já coloquei na minha listinha para ler no futuro. Sua resenha está maravilhosa e envolvente, fiquei feliz em ver que há todo um trabalho da autora no desenvolvimento do enredo. e quando é narrado por varios personagens fica bem melhor.
    Dica anotada.

    Bjs

    ResponderExcluir
  7. Oi, Tamara. Eu ainda não li nada da autora, mas sempre vejo ótimos comentários e fico com a maior curiosidade. Eu gostei muito de ver a sua resenha sobre esse livro, acho que pode ser uma boma leitura.

    ResponderExcluir
  8. Oi Tamara!
    Como sempre, sua resenha está impecável em todos os sentidos. Eu não li nada dessa autora até agora, mas morro de vontade, pois todas as pessoas falam que sua narrativa é arrebatadora e que suas histórias são maravilhosas.
    Eu gosto muito de saber que a história não é sobre o romance do casal em si, mas sobre algo maior. Fiquei muito contente por ter visto todos seu elogios para essa obra e vou anotar a dica.
    Beijos

    ResponderExcluir
  9. Minha mãe ama demais essa autora! Acho que pra ela é uma das queridinhas, sabe? Eu nunca li nada dela mas cada sinopse ou resenha que vejo, percebo como são histórias fortes e que emocionam. Acho interessante ela usar elefantes para de certa forma, fazer uma analogia na história.
    Beijinhos!

    ResponderExcluir
  10. Olá,
    Eu acho complicado (para mim) um livro com tantos pontos de vistas, eu fico sempre meio perdida hahahaha. Nunca li nada da autora mas até que achei interessante o enredo.

    Debyh
    Eu Insisto

    ResponderExcluir
  11. Olá!
    A capa desse livro é maravilhosa, já conhecia a autora e a obra, mas nunca o li.
    Eu amo romances que tem toda essa trama emocional, ficou realmente encantada, principalmente quando o romance não foca só no casal, mas busca abordar outras questões importantes.
    A sua resenha está ótima e me deixou intrigada, talvez eu faça a leitura futuramente.
    Beijos - anne and cia

    ResponderExcluir
  12. Olá!
    Parece ser uma leitura incrível. A autora tem um jeito especial de conduzir a trama e traz elementos que deixam o romance intrigante e envolvente.
    Espero conferir em breve mais esse livro da Jodi.
    Beijos!

    Camila de Moraes

    ResponderExcluir
  13. Ola!

    Nossa, conheci esse livro recentemente, mas não tive a oportunidade de ler nenhuma resenha e nem nada sobre ele, por isso, deixei passar a oportunidade de adquiri-lo e confesso que me arrependo disso agora.
    Esse livro não me lembra absolutamente nada do li até hoje e me deixou extremamente curiosa a sua resenha.

    Dica mais que anotada.

    beijos
    Mayara

    ResponderExcluir
  14. Olá!

    Eu já tinha gostado da capa e do título, ler sua resenha tão detalhada me deixou curiosa e bem feliz!
    Não conheço a autora, mas tenho certeza que começar por esse livro seria uma ótima pedida.

    Bjos

    ResponderExcluir
  15. Olá
    Eu não conheço o livro e não li nada da autora mais fiquei bastante curiosa para ler o livro. Vou anotar a dica

    ResponderExcluir
  16. Oie!
    Eu já vi esse livro pelas redes mas nunca parei nem pra ler a sinopse. Confesso que quando comecei a ler sua resenha fiquei meio com o pé atras quando vi que a personagem principal tem 13 anos, mas com o desenvolver da sua resenha me interessei bastante pela trama, ainda mais quando você disse que te surpreendeu!

    Ótima resenha!

    Beijos
    Carol
    www.thereviewbooks.com.br

    ResponderExcluir
  17. Oi

    Não conhecia o livro, nunca tinha visto antes, mas sua resenha me deixou com muita vontade de conhecer a obra. Adoro livros que possuem esse enredo, sempre acabo gostando muito da narrativa. Agora que voltei ao meu ritmo de leitura, vou adicionar esse a lista de livros para ler antes do ano acabar.

    ResponderExcluir

 
© Galáxia de Ideias, VERSION: 01 - BLUE UNIVERSE - janeiro/2018. Todos os direitos reservados.
Criado por: Maidy Lacerda. Widget inspirado/base do menu por MadlyLuv
Tecnologia do Blogger.
imagem-logo